2 de setembro de 2016 • 7:42 am

Saúde

Em pauta: o drama de quem depende de remédios fornecidos pelo Estado

Proposta pelo deputado Rodrigo Cunha, audiência pública na vai reunir usuários, Secretaria da Saúde, Defensoria e Ministério Público Estadual, a partir das 9h, na Assembleia

Por: Fátima Almeida
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone
Ilustração

Ilustração

O drama de diversas famílias alagoanas que dependem do fornecimento de medicamentos por parte do Executivo estadual para tratar enfermidade, estará na pauta de uma audiência pública que será realizada nesta sexta-feira (2), a partir das 9h, na Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE).

A ideia do deputado Rodrigo Cunha (PSDB), que propôs o debate, é proporcionar a promovida entre as partes envolvidas na discussão, desde representantes da Secretaria de Saúde, Ministério Público, Defensoria Pública do Estado e usuários da Central de Assistência Farmacêutica – CEAF (antiga FARMEX).

De acordo com o deputado, programa Monitora Alagoas mostra que até junho deste ano o governo estadual aplicou apenas R$ 15 milhões na aquisição e gestão de medicamentos no Estado, menos de um terço do que foi totalizado em investimento nesse setor, no ano de 2015 – R$ 47 milhões.

A situação é grave e calamitosa, segundo relatos das famílias que precisam buscar remédios na Farmácia Básica e não encontram. Nos últimos meses a CEAF vem sofrendo inúmeras criticas de usuários por falta de medicamentos e carência no atendimento da Central.

“É preciso discutir com todos os interessados o caminho que devemos seguir para resolver a situação. Por isso, é importante a presença de todos, inclusive de pessoas que vem sofrendo com problemas para receber os remédios que lhes são de direito. Não podemos admitir que milhares de alagoanos continuem nessa situação por pura falta de responsabilidade na gestão do abastecimento de medicamento”, destacou o deputado estadual Rodrigo Cunha, que chegou a apresentar uma proposta de emenda ao Plano Plurianual de 2016-2019, que transferia dotações orçamentárias da publicidade para a aquisição de medicamentos. A emenda não foi aprovada.

A audiência pública acontece nesta sexta-feira, às 9hs, na Assembleia Legislativa de Alagoas, e é aberta à população, imprensa, poder público e judiciário, associações e demais interessados.

Deixe o seu comentário