Archive for julho 8th, 2017

Freitas Neto: A trajetória de um alagoano ‘feito de ferro e flor’

8 de julho de 2017 • 3:01 pm
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Uma exposição, uma mesa de prosa, um encontro de familiares e amigos do jornalista Freitas Neto marcam, nesta terça-feira (11), a passagem dos 20 anos da sua morte e da sua mulher, Graça Freitas, num acidente aéreo, em Santiago de Cuba, em que morreram outras 44 pessoas.

Com o tema “Freitas Neto nos 200 anos de Alagoas: a trajetória de um alagoano feito de ferro e de flor”, o objetivo do evento, organizado por familiares do casal, é relembrar a história do jornalista, cronista esportivo, radialista, juiz classista, sindicalista, político e cidadão alagoano que marcou a trajetória dos seus 47 anos de vida pela defesa intransigente da ética, da democracia e dos direitos sociais e de cidadania.

Os dois filhos do casal, Marcelino e Glória Freitas, lembram que o acidente interrompeu também a atuação do pai como “embaixador” de Cuba em terras brasileiras.  Numa época em que a Ilha sofria consequências do embargo econômico americano, Freitas ficou conhecido por organizar eventos e inúmeros voos de solidariedade a Cuba, nos quais levava doações e convidava profissionais de diversas áreas e políticos dos mais variados partidos para conhecer a realidade dos avanços sociais conquistados na vigência do socialismo no país de Fidel Castro.

Esses e outros detalhes da vida de Freitas, inlcuindo sua história de amor com Graça, a esposa e companheira que morreu com ele, bem como sua dedicação à divulgação da vida e obra do escritor alagoano Graciliano Ramos, vão ser retratados na exposição, por meio de fotos e objetos pessoais, medalhas, títulos e outros elementos significativos de sua trajetória, obtidos em vida e in memoriam.

Na abertura do evento, um pouco dessa historia também será retratada numa mesa redonda composta por amigos que conviveram com Freitas em momentos significativos de suas vidas. Na ocasião, a família vai doar todo acervo do jornalista ao Misa, para criação do Espaço Freitas Neto naquele ambiente cultural.

O evento é gratuito, aberto ao público em geral, e está sendo organizado por familiares e amigos de Freitas, com apoio do Sindicato dos Jornalistas de Alagoas, da Secretaria de Estado da Cultura e da Braskem, esta última patrocinadora do Prêmio Freitas Neto, uma das categorias do Prêmio Braskem de Jornalismo criada pelo Sindjornal para homenagear Freitas e incentivar a participação de estudantes de Jornalismo.

Após a abertura, a exposição poderá ser visitada até dia 31 de julho. Os familiares solicitam que, se possível, quem for ao evento, leve um quilo de alimento não perecível. As doações serão encaminhadas a vítimas das enchentes em Alagoas. Mais informações (82) 98884-9484 (WhatsApp).

Serviço –

O que: Exposição “Freitas Neto nos 200 anos de Alagoas: a trajetória de um alagoano feito de ferro e de flor”.

Quando: 11 de julho, às 19 horas.

Onde: Museu da Imagem e do Som de Alagoas (Misa) – Jaraguá.

(*) – Com Graça Carvalho


8 de julho de 2017

Circuito de Corridas de Rua começa neste sábado em Maceió

prova será realizada na orla de Pajuçara, com concentração a partir das 18h, largada às 20h e percurso de 5 quilômetros.

Considerado, os pitus do Batoré e o caminhão de coco do Yaldo

8 de julho de 2017 • 1:21 pm
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Considerado, todo enxerido, foi tomar umas cervejas com pitu de Porto Real do Colégio na casa do amigo Yaldo Leite, fiscal de renda aposentado que, na adolescência, andou dando uns amassos em Nildinha, avó dele, lá para as bandas de Viçosa. Não propesrou, mas ficaram amigos.

Tanto, que Considerado, vez por outra, encontra o fiscal seja em um boteco ou até mesmo na varanda do” quase ex-avô”, lá no Bananal, reduto tradicional da família Passos e Leite.

Neste sábado, reuniram-se para o aniversário do Batoré que é da mesma turma. Encontraram-se no apartamento do Yaldo, no Pinheiro, e iniciaram os trabalhos com o pitu cozido na água e sal.

Hora de ir à festa no Bar do Lula Manguito, nosso amigo fiscal cismou que tinha de levar um presente e considerou que poderia ser uma porção do pitu recém chegado das águas renevodas – pelas chuvas  – do velho Chico.

Considerado foi contra. Queria devorar tudo alí mesmo.

-Não senhor, o Batoré merece minha consideração – Reagiu Yaldo

-Que nada vovô, o babá vai pegar esses pitus e vai dar a um promotor cunhado dele.

-Não senhor, vou levar pra gente comer lá…

Enquanto o dono da casa se levantou para se arrumar e sair, Considerado pegou um saco plástico colocou os pitus dentro e escondeu. Logo então foi questionado pelo sumiço do pacote de crustáceos. A encrenca voltou de novo.

-Devolva que vou levar pra ele.

-Um pacotinho de nada desses Yaldo não vale a pena.

-Pacotinho não, aí tem mais de 100 unidades.

-Então conte pra vê se tem?

-Cuidado. O útimo  que fez isso comigo eu mandei pra puta que pariu até hoje!

-E quem foi?

Ele resolveu contar uma história de seu início de vida como fiscal de renda no posto de Delmiro Gouveia. Era Semana Santa e apareceu um caminhão baú carregado de coco. Parou o carro, pediu a documentação da carga e a nota dizia que havia 5 mil unidades. Apressou o despacho por causa da chuva intensa e já ia liberar o caminhão, quando o chefe apareceu.

-E aí tá tudo bem?

-Sim. Esse aqui está tranquilo. Já vou liberar.

-Como assim tranquilo, conferiu a carga?

-Sim é uma carga de 5 mil cocos

-Você contou?

-Como é a história, chefe?

-Vá lá contar pra saber se tem 5 mil cocos mesmo.

-A nota está dizendo isso.

-Mas tem de contar um por um…

-Vá contar você, seu pai e a puta que lhe pariu!

 


8 de julho de 2017

CRB faz jogo duro neste sábado contra Boa Esporte em Minas

Os dois times vêm de vitórias expressivas e quem ganhar ficará próximo ao G-4

8 de julho de 2017

Temer chantageia PSDB e tucanos convocam reunião de emergência

Reunião foi convocada para segunda-feira e pode gerar o desembarque do governo