Archive for dezembro 29th, 2017

29 de dezembro de 2017

Fim de ano em Alagoas tem previsão de sol

Característica é de tempo seco e altas temperaturas

29 de dezembro de 2017

Governo publica edital do concurso para professor da rede estadual

Inscrições têm início no dia 2 de janeiro para certame com ofertas de 850 vagas

29 de dezembro de 2017

Hemoal apela à população para garantir estoque de sangue

Unidade do Trapiche da Barra abrirá neste sábado das 8 às 17 horas para garantir estoque durante festejos de fim de ano

29 de dezembro de 2017

Salário mínimo será de R$ 954 a partir de 1° de janeiro

Aumento de R$ 17, em reajuste de 1,81% que segue a previsão do Índice de Preços ao Consumidor e inferior aos R$ 965 aprovados no Congresso

Nonô diz que será candidato a federal e Rui Palmeira a governador

29 de dezembro de 2017 • 12:44 pm

O ano chegou ao fim e, a partir de agora, os homens do poder não pensam mais em outra coisa que não seja o processo eleitoral de 2018.

Quem está dentro quer ficar e quem está fora quer entrar. Assim manda a regra do jogo.

E não foi por outra razão que o Secretário Municipal de Saúde de Maceió, José Thomaz Nonô, dirigente maior do Democratas (DEM) no Estado disse em entrevista ao radialista França Moura, na Rádio Correio, que será candidato a deputado federal no próximo ano.

E mais que isso: deixou claro também que o prefeito de Maceió, Rui Palmeira (PSDB) será candidato a governador de Alagoas, para tentar desalojar Renan Filho (PMDB) do poder de mando no Estado.

Faz parte do processo e isso naturalmente fez de 2017 o ano em que se trabalhou. Ou seja, os gestores efetivamente tiveram que atuar para dar respostas às demandas de cada setor ou comunidades. Uns mais, outros menos, mas, muitos, nem uma coisa nem outra.

Nonô: na busca de um mandato.

Quer dizer, nada fizeram.

Agora, quando entrar 2018, todos irão à luta em busca dos seus objetivos, os quais são meramente políticos.

Nada será feito sem o viés político como pano de fundo. Ou sem que o interesse seja a cabala do voto.

Assim, tudo será estudado.  Desde as falas públicas e privadas até às marcações de consultas médicas, quer sejam no PAM Salgadinho ou no Hospital Regional do Agreste.

Isso significa que estratégias e táticas vão se sobrepor a quaisquer ações dos gestores daqui para frente, até o dia das eleições.


29 de dezembro de 2017

DPE vê superlotação no ‘Cadeião’ de Arapiraca

Em mutirão, Defensoria verifica situação da custódia no município

Final de ano ‘ruinzinho’. Quando os rigores da lei se confundem com a política

29 de dezembro de 2017 • 11:27 am

Retirada das placas causou polêmica

O que acontece com o Prefeito Rui Palmeira? Final de ano, o sentimento natalino ainda reinando na mente das pessoas de boa vontade; o clima de harmonia e paz fazendo ninho no coração daqueles que botam fé e esperança no novo ano que se aproxima, e o Executivo municipal comprando briga por todo lado.

Primeiro foi o episódio envolvendo o Tribunal de Contas. O prefeito saiu do costumeiro tom de menino bonzinho e tocou fogo na relação institucional, acusando a presidente Rosa Albuquerque de estar agindo politicamente, nas decisões do TCE. Rosa respondeu no mesmo tom, qualificando de ‘irresponsáveis e levianas’ as declarações do prefeito.

Pela disposição declarada dos dois lados, o caso deve parar na Justiça quando 2018 chegar.

Mas nem bem a poeira baixou, novamente a Prefeitura, numa atitude impensada, compra uma nova briga desnecessária com o Instituto do Meio Ambiente (IMA), com a inexplicável retirada das placas instaladas na orla pelo órgão ambiental do Estado – com mensagens educativas e dispensers de sacos de lixo para estimular os banhistas a não deixarem sujeira na praia.

A Prefeitura alegou falta de autorização para a colocação das placas – como se, nesse caso, o uso rigoroso da burocracia e dos ‘ditames’ da lei pudesse justificar a decisão (visivelmente política) de desfazer uma ação positiva para o meio ambiente. Na verdade, a disposição dos sacos de lixo é uma boa prática que já deveria ter o apoio da Prefeitura, senão como iniciativa própria – já que o projeto Nossa Praia é do Estado e está na terceira edição – pelo menos por adoção, como parceira.

Retirar o material educativo com a alegação de que não tinha autorização e atrapalha os banhistas foi uma tremenda bola fora que repercutiu muito mal para a Prefeitura, provando que, nesses arroubos da política, nem sempre se consegue o efeito esperado. Tem vezes em que a flecha volta contra o próprio atirador. Principalmente quando se tem tanto telhado de vidro, como o lixo e os obstáculos que atrapalham o passeio público e aquelas conhecidas nesgas de esgoto que ainda escorrem mar adentro, em alguns pontos da orla de Maceió.

E n caso das placas, o IMA soube aproveitar muito bem a repercussão a favor do Estado. E prometeu para hoje um mutirão ‘com apoio da população’, para recolocar as placas com os dispensers de sacos de lixo na orla de Maceió. Mandou ver.

E a Prefeitura silenciou sobre o assunto. Terá reconhecido o erro estratégico? Ou percebido que, em certas situações, o melhor é recuar pra na perder a batalha…

Fato é que o Prefeito está surpreendendo com esse novo perfil ‘arengueiro’, que vai se acentuando junto com o ano de 2018, que já vem bem ali.

Será a aproximação das eleições mexendo com o mapa astral de sua Excelência?


Os estúpidos e o desperdício de água

29 de dezembro de 2017 • 10:30 am

 

O Brasil é o país que tem a maior quantidade de água per capita do mundo. Em Maceió, apesar do desabastecimento temporário em alguns bairros, a situação é regular! Mas o semiárido e o sertão vivem em permanente escassez.

A falta de água está relacionada às questões ambientais, a planejamento e gestão pública.

Porém, há que se considerar a estupidez humana.

Sim, queridos leitores e leitoras, há muita gente irresponsavelmente estúpida. Afinal, qual é o sentido de lavar calçadas com a água tratada, que sai das torneiras?

Essa ação dói na alma!

A vontade que dá é tomar a mangueira das mãos do estúpido e lhe dar um cascudo.

Punossassinhora!

Hoje, num dos prédios da Avenida Amélia, dois funcionários praticavam esse crime. Sim, porque considero crime desperdiçar recursos naturais!

E não são os únicos, claro! Essa prática odiosa pode ser flagrada diariamente, em toda cidade. Na rua de minha casa, tem um desses criminosos. Pelo menos três vezes por semana o sujeito lava dois três carros e em seguida ‘varre’ a calçada com água.

Homi… pense numa raiva!

Por isso, decidi incluir nas minhas orações o pedido pra que essas pessoas se conscientizem de que a água é um bem valioso demais pra ser desperdiçado.

Vale lembrar também que a Organização das Nações Unidas (ONU) escolheu para o debate em 2018, no Dia Mundial da Água (22/03), o tema “Soluções Naturais para a Água”.

Como alerta, republico a Declaração Universal dos Diretos da Água, documento publicado pela ONU em 22 de março de 1992:

Art. 1º – A água faz parte do patrimônio do planeta.

Art. 2º – A água é a seiva do nosso planeta. Ela é a condição essencial de vida de todo ser vegetal, animal ou humano. Sem ela não poderíamos conceber como são a atmosfera, o clima, a vegetação, a cultura ou a agricultura.

Art. 3º – Os recursos naturais de transformação da água em água potável são lentos, frágeis e muito limitados.

Art. 4º – O equilíbrio e o futuro do nosso planeta dependem da preservação da água e de seus ciclos.

Art. 5º – A água não é somente uma herança dos nossos predecessores; ela é, sobretudo, um empréstimo aos nossos sucessores.

Art. 6º – A água não é uma doação gratuita da natureza; ela tem um valor econômico: precisa-se saber que ela é, algumas vezes, rara e dispendiosa e que pode muito bem escassear em qualquer região do mundo.

Art. 7º – A água não deve ser desperdiçada, nem poluída, nem envenenada.

Art. 8º – A utilização da água implica respeito à lei.

Art. 9º – A gestão da água impõe um equilíbrio entre os imperativos de sua proteção e as necessidades de ordem econômica, sanitária e social.

Art. 10º – O planejamento da gestão da água deve levar em conta a solidariedade e o consenso em razão de sua distribuição desigual sobre a Terra.

O novo ano está aí, e o que queremos?

Queremos respeito ao futuro.

 

*Em tempo: Em 2015, a Câmara Municipal de São Paulo aprovou a aplicação de multa de R$ 250 para quem for flagrado lavando a calçada com água potável da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).


29 de dezembro de 2017

Arquidiocese de Maceió realiza Celebração pela Paz nas Ruas nesta sexta-feira

Celebração está prevista para iniciar-se às 19h na Catedral Metropolitana de Maceió

29 de dezembro de 2017

Taxa de ocupação hoteleira pode chegar a 100% no Réveillon

Em novembro, início da alta temporada, a média de ocupação nos hotéis chegou a 76%, um aumento de 7,19% em relação a 2016