Archive for Janeiro 3rd, 2018

No calor do Festival de Verão, a introdução é fumaça e fogo

3 de Janeiro de 2018 • 4:21 pm

Mais um embate entre a Prefeitura de Maceió e vendedores ambulantes marcou o final da tarde de ontem (02). O motivo? A distribuição, a limitação e a localização dos pontos de vendas oferecidos pela Prefeitura para os eventos do Festival de Verão. Mas, principalmente, a falta de informações precisas sobre as decisões da Prefeitura. É o que parece!

Os ambulantes estão sendo cobrados numa taxa de R$ 200. Tudo bem, até ficarem sabendo que, mesmo pagando, serão barrados na festa. Terão que ficar na periferia do evento, o que gerou insatisfação e o protesto, com fogo, fumaça e uma grande confusão no trânsito do principal corredor da orla, no sentido Jaraguá. Confusão que causou transtornos para quem fazia o caminho de volta pra casa, após um dia de trabalho, e alguns acidentes entre veículos que transitavam no local.

A impressão que se tem é de que faltou diálogo, entendimento, esclarecimento prévio.

Ambulantes com anos de labuta reclamam que a Prefeitura exigiu um cadastro; o pagamento da taxa; e só depois – na hora de pegar a permissão – descobriram que só terão direito a trabalhar do lado de fora. O privilégio de ficar do outro lado (dentro da festa) será concedido a comerciantes cadastrados por uma empresa privada que venceu licitação para distribuir os pontos de vendas dentro do evento, segundo explicações da Secretaria Municipal de Segurança e Convívio Social (Semscs). Ela de novo!

A mesma Secretaria que na semana passada gerou polêmica com a retirada – também sem diálogo prévio e explicação lógica – dos dispensers de sacos de lixo colocados pelo Instituto do Meio Ambiente (IMA) para recolhimento de sujeira nas praias de Maceió.

No caso dos ambulantes, a Secretaria informa que as 70 vagas disponibilizadas foram preenchidas. Em relação à taxa cobrada, explica que ela está prevista no Código de Posturas de Maceió, cujo valor é definido pelo Código Tributário, variando de acordo com o espaço utilizado pelos ambulantes e pelo tipo de produto comercializado. Em relação ao espaço interno do evento, esclareceu que a comercialização de produtos é de responsabilidade da empresa vencedora da licitação para esse fim.

Ah bom. Mas será que isso estava claro desde o início para os vendedores ambulantes?

Acho que não. Se houvesse entendimento prévio, não haveria expectativa e nem resultaria em protesto.


3 de Janeiro de 2018

Renan Filho: Eixo Quartel inaugurado neste mês, Eixo Cepa em março

Avenida Fernandes Lima, principal corredor viário de Maceió, terá dois eixos para auxiliar a desafogar o trânsito

3 de Janeiro de 2018

Rui Palmeira diz que há uma pressão do PSDB para ele concorrer ao Governo

Prefeito de Maceió dará resposta final até 7 de abril; Benedito de Lira, Teotônio Vilela e Marx Beltrão seriam nomes do partido para o Senado

3 de Janeiro de 2018

Atualização da Classificação de Doenças terá transtornos por jogos eletrônicos

Previsão é que a definição de vários transtornos mentais seja reformulada e inclua novos conceitos, como o vício em videogame

3 de Janeiro de 2018

Ministro da Indústria e Comércio, Marcos Pereira pede demissão

Essa é a segunda baixa no ministério do presidente Temer em menos de 10 dias; Ronaldo Nogueira havia deixado o Ministério do Trabalho

3 de Janeiro de 2018

Casal: Vazamentos afetam Barra de São Miguel

Abastecimento de Piaçabuçu está em fase de normalização nesta quarta, após problemas no último dia do ano

3 de Janeiro de 2018

Justiça determina interdição da delegacia de Piranhas

Novos presos não podem ficar no local por mais de 24h, devendo ser remanejados para a Casa de Custódia, cadeia pública ou outro lugar adequado

Obras públicas e ‘mi mi mi’

3 de Janeiro de 2018 • 12:55 pm

Tem algumas coisas no mundo que são difíceis de entender. Uma delas é comerciante reclamando de obra pública que “causa transtorno”.

Meu amigo, qual é a obra de construção que não provoca transtorno?

Vamos combinar que duplicar uma rodovia, construir um viaduto, galeria de esgoto e obras semelhantes não é igual comer pudim, né?

Punossasinhora!

O caso mais recente é a reclamação de moradores e comerciantes de Jacarecica, com as obras do trecho 2 da duplicação da AL 101 Norte.

Não faz sentido reclamar da obra!

Talvez valesse reclamar do atraso no cronograma. Mas o governo explica que o atraso, entre abril e agosto do ano passado, foi por conta das chuvas.

Pra calar o choro dos reclamantes, a Secretaria de Estado do Transporte e Desenvolvimento Urbano (Sertrand) informa que essa etapa deve ficar pronta neste primeiro semestre.

E destaca a segurança de motoristas e pedestres, o fortalecimento do turismo, a sinalização, a iluminação, passarelas e dois viadutos como benefícios que a população terá quando tudo acabar.

Então, sociedade, vamos deixar de mi mi mi.

Ao invés de reclamação na mídia, vale mesmo é cobrar mais obras para fazer o desenvolvimento tornar-se realidade.

 


Considerado comunista, o preço da gasolina e as piabas de Geni Maravilha

3 de Janeiro de 2018 • 10:13 am

Considerado acordou nesta quarta-feira, 3, disposto a tomar um banho de mar no Francês. Ligou para os amigos de sempre e apenas Geni Maravilha topou ir com ele. Geni é um caboclo sertanejo de quase 1,90m que topa qualquer parada quando o assunto é diversão a 0800.

O mar anda de fato mais que convidativo. E no Francês a turistada se esbalda na areia fina e nas águas mornas do lugar. Considerado pediu o carro da avó e ela lhe entregou a chave com uma observação providencial. “Bote gasolina que só tem o cheirinho”, disse.

Liso, ele ligou para Geni e apelou para irem no carro do amigo. Mão fechada, ele recuou: – Você me convida e agora eu tenho que ir no meu carro para ser seu motorista? Te enxerga moleque!

Depois dessa, sem que avó Nildinha desse conta, Considerado deu um baculejo de R$ 20,00 na carteira dela. O dinheiro da gasolina. Saiu de carro com Geni e foram abastecer. Entregou o dinheiro e o frentista foi rápido.

-Já colocou meu amigo?

-Já sim, senhor.

-Tão rápido.

-O senhor chega com R$ 20 e a gasolina está de R$ 4,28 o litro…

Foi aí que ele se tocou. O dinheiro só deu para 4,6 litros. Com essa quantidade de gasolina até chegariam na praia do Francês, mas voltar só se fosse empurrando o carro. Geni Maravilha reagiu:

-Ah irmão, assim não vai dar não.

-Por que não vai dar?

-Não está vendo que a gente vai ficar no meio do caminho?

-Se fosse no carro do Batoré você ia.

-Mas o Babá só anda de tanque cheio…

Irritado, Considerado passou a xingar meio mundo de gente. Danou-se a falar do cartel dos postos de combustíveis, atacou o governo por que o Estado tem a gasolina mais cara do País, esculhambou o prefeito por causa dos pardais espalhados na cidade e, de repente, se virou para Geni Maravilha e disparou:

-A culpa é sua.

-Por que a culpa é minha?

-Por que você é um coxinha filho da puta.

-E daí, eu por acaso sou dono de posto de gasolina?

-Mas foi bater panela lá em Maravilha para botar esse vampiro do Temer no Planalto.

-Eu bati panela coisa nenhuma.

-Bateu sim e agora está aí caladinho, com as panelas todas sujas.

-Quer saber, não vou sair com você mais não seu comunista…

-E você eleitor do Bolsonaro, aquele imbecil de galocha.

-Você diz isso mas sua avó vai votar nele.

-Não fale de minha avó.

-É melhor eu ir embora mesmo, por que você, sua avó e agora o Fumacê, namorado dela, é tudo comunista.

-Vamos parar de brigar e a gente vai lá para tua casa, tu assas aquelas piabas que trouxesses de Maravilha, a gente chama o Batoré e faz a farra.

-Eu não falei? Isso é típico da esquerda caviar que quer viver na moleza comendo as coisas dos outros.

-E quem foi que disse que eu quero lhe comer coxinha FDP?

 

 

 

 

 

 

 


3 de Janeiro de 2018

Preço do combustível dispara de um dia para outro em Maceió

Em alguns estabelecimentos, de ontem para hoje o aumento foi de quase R$ 0,60; Câmara de Maceió já apontou indício de cartel nos preços