Archive for Janeiro 16th, 2018

16 de Janeiro de 2018

CRB estreia na Copa do Nordeste com vitória fora de casa

Treze recebeu o Galo no Estádio Ernani Sátyro, o Amigão, e perdeu de 2×1 para o time alagoano

16 de Janeiro de 2018

Temer decide afastar vice-presidentes da Caixa por 15 dias

Banco Central sugeriu que a Caixa Econômica Federal afaste os seus atuais vice-presidentes após investigações do próprio banco

16 de Janeiro de 2018

No Chile, Papa expressa dor e vergonha por abusos sexuais da sua igreja

Papa Francisco pediu perdão a todas vítimas

16 de Janeiro de 2018

Governo ainda não tem votos suficientes para a reforma da Previdência

São necessários pelo menos 308 votos favoráveis entre os 513 deputados, em dois turnos. A votação da PEC em plenário está marcada para 19 de fevereiro

16 de Janeiro de 2018

Ministério Público quer prefeito da Campo Grande de volta a cadeia

MPE entrou com um agravo no Tribunal para devolver prefeito à prisão

16 de Janeiro de 2018

Número de exportações em Alagoas cresce 58,01%

Dado é referente a 2017 e reflete trabalho realizado pelo Governo do Estado, que possibilita chegada da produção no cenário internacional

16 de Janeiro de 2018

Administração Renan Filho tem o melhor equilíbrio fiscal do Brasil

Alagoas se destaca nacionalmente como um dos únicos cinco Estados cujas contas não se deterioraram nos últimos três anos

O valor da militância gay

16 de Janeiro de 2018 • 11:46 am

Nildo Correira, ativista da causa LGBT. Foto: Dicom/TJAL

O presidente do Grupo Gay de Alagoas (GGAL), Nildo Correia, será um dos agraciados com o prêmio Notáveis da Cultura Alagoana.  A honraria será concedida pela Associação Cultural Lagoa do Sul. Em sua 14ª edição, o prêmio Notáveis foi criado em 2005, pelo engenheiro e ativista cultural Carlito Lima.

Jornalista, blogueiro e militante das causas LGBT desde 1997, Nildo Correia coordena a Parada do Orgulho LGBTI+ de Alagoas, um dos grandes eventos de massa e mobilização social do Estado. Em sua pauta anual está também o Festival de Arte e Cultura LGBTI.

Sua militância e luta por direitos humanos o levou a apresentar sugestões ao parlamento maceioense, a exemplo de projetos de lei que cria cotas de moradia popular para casais homoafetivo, que reformula a lei de combate a homofobia, que torna a praça Rayol, no  bairro histórico de Jaraguá, uma referência LGBTI+ na capital, entre outros.

Sua voz se levanta sempre para cobrar a apuração e punição das centenas de crimes homofóbicos que ainda ocorrem Alagoas, e no País.

A solenidade de entrega do14º Prêmio Notáveis da Cultura Alagoana está marcada para o próximo dia 25, a partir das 17h, durante a Festa Literária do Pôr do Sol, na barraca Pedra Virada, na orla de Ponta Verde, em Maceió.

Saudação, querido Nildo!

Continue abalando.


Caso Neguinho Boiadeiro: será mais um crime sem solução no Estado?

16 de Janeiro de 2018 • 7:56 am

Um tiroteio no meio da rua. Um corpo crivado de balas fica estendido no chão, já sem vida. Outro que estava ao lado tomba baleado. Em outro ponto da cidade, a reação. Mais tiros e tiros, outro corpo é atingido e logo encaminhado a um hospital.

A onda de terror deixa a população perplexa e em total clima de apreensão. O cenário do pipocar da violência foi o município de Batalha, médio sertão alagoano, em 9 de novembro de 2017, quando foi morto o presidente da Câmara, vereador Neguinho Boiadeiro, batizado Adelmo Rodrigues de Melo, e saíram feridos um policial e José Emílio Dantas, adversário político de Boiadeiro.

Neguinho Boiadeiro: vereador assassinado

O caso ruidoso e envolvendo pessoas famosas no mundo da valentia sertaneja até agora é uma incógnita.

Estaria partindo para ser mais um dos badalados crimes sem solução no Estado?

Isso por que houve um tempo na estrutura da segurança pública alagoana em que muita gente morreu a tiros e os casos nunca foram solucionados devidos a interesses diversos e escusos no processo. Foram chamados de crimes se solução.

Muitos desses crimes foram praticados com o devido carimbo de chumbo quente do crime organizado nesta terra, que costuma contratar pistoleiros para eliminar os desafetos.

Os tempos mudaram e, com certeza, a política de segurança também mudou. Notadamente, as lideranças do setor na estrutura do governo já disseram que casos desta natureza serão esclarecidos “doa a quem doer”.

No entanto, o silêncio sobre o assassinato de Neguinho Boiadeiro demonstra, num primeiro momento, que as investigações ainda estão sem um norte real na história.

Um assassinato de encomenda? Uma briga entre famílias adversárias? Um caso passional? Enfim, quem matou e por que matou Neguinho Boiadeiro?

Essas questões precisam ser respondidas mas o silêncio é total.

Por que será?

 

 

 


16 de Janeiro de 2018

Tesouro não vai cobrir neste ano rombo de R$ 18,3 bilhões no FAT

FAT é responsável pelo pagamento de benefícios sociais como seguro-desemprego e abono salarial