28 de março de 2015 • 8:16 am

Cotidiano

O sertão pode não virar mar, mas há promessa de água para todos

Se depender da festa feita pelo governador Renan Filho (PMDB) e a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, durante encontro no semiárido alagoano para a solenidade…

Por: Marcelo Firmino
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

água no sertãoSe depender da festa feita pelo governador Renan Filho (PMDB) e a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, durante encontro no semiárido alagoano para a solenidade de universalização da água, certamente a partir de agora o sertão vai virar mar. Juntos, prometeram que nenhum sertanejo sofrerá mais com o drama da seca, pois vão garantir água para todos.

Para isso firmaram parceria no município de  Poço das Trincheiras com o Consórcio para o Desenvolvimento da Região do Ipanema (Condri) e para validar a Lei Orgânica de Segurança Alimentar e Nutricional (Losan). O consórcio vai beneficiar 19 municípios do estado. Porém, neste primeiro momento, sete deles estão sendo favorecidos com 5.400 cisternas, beneficiando a mesma quantidade de famílias, nas cidades de Carneiros, Dois Riachos, Maravilha, Ouro Branco, Palestina, Pão de Açúcar e Poço das Trincheiras.

A expectativa do goerno do Estado e da União é que essa iniciativa também possibilite a aquisição de 3.800 cisternas de produção, com 54 mil litros de capacidade, cada. O objetivo é que as famílias possam utilizá-la com a agricultura familiar e também para produção de animais.

Durante o evento do sertão Tereza Campello destacou que com acesso à água e os programas sociais, está sendo possível mudar a realidade da vida do sertanejo. Já o governador de Alagoas disse que que não medirá esforços para que todos os alagoanos tenham água de consumo e para produção.

– Vamos ajudar a mudar a realidade. Nós queremos conviver com o Semiárido, proporcionando água para beber e para manter nossa horta funcionando. Além das milhares de cisternas residenciais que entregaremos esse ano, vamos construir, ao longo de 2015 até 2016, cerca de 420 cisternas nas escolas da zona rural; e assim, vamos acabar com a história da criança e adolescente não ir à aula porque estava faltando água – Concluiu.

 

 

Deixe o seu comentário