3 de março de 2017 • 6:20 pm

Turismo

MPF ajuiza ação contra fotógrafo que deslocou corais de seu habitat

Profissional é acusado de transpor organismos marinhos para outro ambiente para servirem de cenário a fotografias turístcas

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Uma ação inusitada. Uma reação igualmente incomum. Acusado de retirar corais de seu habitat e alocá-los em outro ambiente, a fim de servirem de fundo para fotografias subaquáticas com turistas, na Área de Preservação Ambiental Costa dos Corais, município de Maragogi/AL, o fotógrafo Enemércio Amaro Conceição de Lima,  está sendo alvo de ação penal ajuizada pelo Ministério Público Federal em Alagoas (MPF/AL).

Inicialmente, a denúncia que gerou o Inquérito Policial nº 0266/2014,  foi feita pela Associação das Operadoras de Mergulho de Maragogi ao ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), que constatou a retirada mecânica sofrida pelos corais e a presença inadequada desses organismos marinhos nos bancos de areia.

De acordo com a denúncia, testemunhas viram o acusado em sua lancha, jogando a âncora nos corais para retirá-los. Também afirmaram que questionaram a ação criminosa ao acusado, que respondeu não se importar e que os corais seriam usados em outra praia para serem fotografados com turistas.

A ação penal foi ajuizada pela procuradora da República Raquel Teixeira, que ponderou sobre a peculiaridade do dano causado pelo fotógrafo. Segundo a procuradora, “corais e outros habitantes marinhos só podem ser observados in loco, sua retirada causa dano de difícil reparação e caracteriza crime ambiental que deve ser combatido firmemente”.

A pena prevista na Lei de Crimes Ambientais para o crime cometido pelo fotógrafo é de reclusão de um a cinco anos.

Deixe o seu comentário