10 de julho de 2015 • 11:32 pm

Cotidiano

Mutirão de ortopedia beneficia pacientes de 17 municípios

O mutirão surgiu como uma grande iniciativa no interior o Estado

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Os Mutirões de Triagem para Cirurgias Ortopédicas, realizados pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), chegaram na última etapa, beneficiando usuários do SUS da VIII e IV Regiões de Saúde. Nesta sexta-feira (10), a ação ocorreu no Hospital Santa Rita, em Palmeira dos Índios, onde 63 pessoas foram triadas e 43 tiveram indicação para cirurgia.

 

Mutiâorõ dee ortopedia.

Mutiâorõ dee ortopedia.

Por meio dos Mutirões de Triagem para Cirurgias Ortopédicas, que integraram o Plano de Ação desenvolvido pela atual gestão da Sesau, foram beneficiados os moradores de Belém, Cacimbinhas, Estrela de Alagoas, Igaci, Maribondo, Minador do Negrão e Tanque D’Arca. Também foram atendidos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) de Atalaia, Cajueiro, Capela, Chã Preta, Mar Vermelho, Paulo Jacinto, Pindoba, Quebrangulo e Viçosa.

Com isso, segundo a secretária de Estado da Saúde, Rozangela Wyszomirska, foi reduzida a demanda reprimida que havia em Alagoas. “Nosso propósito é facilitar o acesso dos serviços de saúde aos alagoanos e, com base neste princípio, o governador Renan Filho determinou que fossem realizados os mutirões ortopédicos para reduzir a demanda reprimida”, evidenciou.

Antes de ser realizado em Palmeira dos Índios, também foram realizados mutirões ortopédicos no Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió; Hospital Chama, em Arapiraca e Clodolfo Rodrigues, em Santana do Ipanema. Com isso, mais de 200 pessoas foram triadas por ortopedistas.

Entre os beneficiados pela ação, está o motorista Alcides Rocha, que levou uma queda há três meses, ocasionando uma lesão no braço direito. Com indicação para cirurgia e depois de percorrer alguns hospitais de Maceió, foi orientado a procurar o mutirão em Palmeira dos Índios.

“Há 90 dias que esperava uma oportunidade de fazer a cirurgia, porque após essa queda fiquei sem os movimentos do braço direito e estou afastado do trabalho. O mutirão chegou no momento certo”, comemorou.

O futebol, que é uma das principais atividades de lazer do jovem Rodrigo Valentim, 16 anos, se transformou em um problema de saúde após levar uma queda e fraturar a perna

Inicialmente o jovem passou por tratamento em um hospital de Arapiraca e, nesta sexta-feira (10), se submeteu a uma avaliação durante o mutirão realizado em Palmeira dos Índios. Segundo ele, o mutirão ocorreu em boa hora, porque facilitou o acesso ao seu tratamento, já que aconteceu próximo a Quebrangulo, onde ele reside.

A agricultora Maria Lúcia Lima também foi vítima de uma queda, que terminou afastando-a de suas atividades. Depois de percorrer algumas unidades de saúde, foi orientada a aguardar o mutirão que a Sesau vem realizando desde março nas regiões de saúde. “Hoje estou aliviada, porque finalmente consegui o atendimento que necessitava. Graças a Deus realizaram esse mutirão aqui em Palmeira [dos Índios]”, salientou.

O diretor de Assistência Hospitalar e de Urgência da Sesau, Rogério Barboza, esteve acompanhando os atendimentos no Hospital Santa Rita. “Cumprimos mais uma etapa do projeto elaborado pela secretária Rozangela Wyszomirska e pelo governador Renan Filho, que elegeu a saúde como sua prioridade”, destacou.

De acordo com o provedor do Hospital Santa Rita, Pedro Gaia, a Secretaria de Estado da Saúde tem sido uma parceira e foi responsável pelo retorno das cirurgias ortopédicas que ocorrem semanalmente, em um total de cinco por dia. Recentemente, implantou o procedimento cirúrgico ortopédico através de vídeo para os usuários do SUS. A Sesau liberou 10 cirurgias por mês por meio do sistema.

 

Deixe o seu comentário