24 de maio de 2015 • 10:48 am

Esportes

A mediocridade do CRB na série B já enche os olhos do torcedor. De raiva.

Nos últimos três jogos o time tomou nada menos do que 10 gols. Seria uma peneira de furos largos?

Por: Marcelo Firmino
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
mediocridade regatiana

mediocridade regatiana

Já está enchendo os olhos dos alagoanos que gostam de futebol a mediocridade do time do CRB no campeonato brasileiro da série B.

Das três partidas que disputou venceu uma contra o Bragantino por dois a zero, mas sem jogar um futebol que agradasse. Perdeu de goleada para o Botafogo no Rio de Janeiro e neste sábado, 23, perdeu de três a zero para o Esporte Cluba Bahia, em pleno estádio Rei Pelé. Perdeu por absoluta ruindade, futebol fraco e sem nenhuma jogada capaz de mudar o conceito do torcedor.

O time também perdeu no Trapichão para o Grêmio e mais una vez de goleada. 4 a 1. Nas últimas três partidas que disputou o CRB levou nada menos do que 10 gols, para satisfação geral e irrestrita da maioria dos torcedores rivais, o azulinos fora de série.

O técnico do Regatas, Alexandre Barroso diz que o time está em formação no andar da competição. Essa é uma desculpa de quem não quer ferir suscetibilidade diante da fragilidade da equipe que tem nas mãos. O CRB tem uma base formada pela equipe que disputou o campeonato alagoano e desde lá já se dizia que o galo não tinha um elenco para disputar a série B.

De oito atletas novos contratados quase não se ouve falar. Gerson Magrão que entrou no segundo tempo do jogo contra o Bahia mostrou que tem intimidade com a arte do futebol, mas o CRB joga sem arte e sem absolutamente nada. O time é um aglomerado de atletas em campo, sem padrão de jogo, sem alma e sem honrar a gloriosa camisa regatiana.

Desse jeito não vai a lugar algum.

1 Comentário

  1. Murilo disse:

    A verdade está vindo à tona. Dinheiro roubado ou fácil, vai fácil…

Deixe o seu comentário