23 de dezembro de 2016 • 1:37 am

Cultura » Personalidades

A melodia que sai do sopro do alagoano Elizaubo Wandemberguer

Deodorense de talento reconhecido, ele se dedica à música instrumental desde os 10 anos de idade

Por: Fátima Almeida
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Elizaubo é sargento músico do Corpo de Bombeiros, em Alagoas (Foto: Divulgação)

Elizaubo Wandemberguer. Esse nome poderia ser reconhecido como médico ou cientista alemão. Mas, a bem da verdade, ele não cura doenças físicas. Suas mãos e sua boca produzem um bálsamo que pode aliviar feridas da alma, nas notas melodiosas que faz sair do saxofone e do clarinete, instrumentos que domina desde os 10 anos de idade.

Além do mais, quem dise que Elizaubo é alemão? Ele é daqui mesmo, da cidade de Marechal Deodoro, um verdadeiro celeiro, de onde saem músicos para orquestras sinfônicas e banda musicais de todo o Brasil.

Diz a lenda, que na antiga capital das Alagoas,  localizada às margens da Lagoa Manguaba, quando nasce uma criança, o pai joga um bolo de barro na parede. Se cair, vai ser pescador; se grudar, teremos um músico na certa.

E Elizaubo é dos bons. Com um currículo tão invejável quanto seu talento musical, o deodorense foi o escolhido para representar a Banda do Corpo de Bombeiro de Alagoas – onde é sargento músico – em um concerto da Banda Sinfônica da Policia Militar de São Paulo, comemorativo aos 185 anos da instituição militar paulista, evento realizado na quarta-feira (21) na Sala São Paulo.

QUEM É

Clarinetista e saxofonista, Elizaubo Wandemberguer iniciou ainda criança, frequentando a escolinha da Sociedade Musical Carlos Gomes, na cidade onde nasceu, aprendendo, com os maestros Gerson Geraldo, Edison Camilo e Aloísio, a sussurrar os sons na doce clarineta, depois difundidos no som mágico do saxofone, com os mestres Yves Roy, Celso Paiva, Almir Medeiros e Flávio Ferreira.

Divulgação

Participou de diversos festivais de música, entre eles, o Música Instrumental Banco do Nordeste, Projeto MPB Petrobras em Maceió e o 1º Encontro Nordestino de Saxofone (cidade de Natal, 2010), entre outros.

E participou da gravação da trilha sonora de “Velho Chico” (novela da rede Globo); da gravação de DVD’s de vários artistas alagoanos e se apresentou ao lado de grandes nomes da  música instrumental brasileira, como os pianistas Artur Moreira Lima, Nelson Ayres, Ademir Jr , Ângelo Torres, Zé da Velha e Silvério Pontes, além  do saxofonista Everaldo Borges.

Atualmente, Elizaubo participa de gravações de um documentário sobre a cultura de Marechal Deodoro.

Vem mais coisa boa por aí.

(* – Com assessoria)

Deixe o seu comentário