3 de Janeiro de 2017 • 4:08 am

Política

A nova missão de Alfredo Gaspar à frente do Ministério Público

Procurador toma posse prometendo combater, sem trégua, a corrupção nas instituições públicas

Por: Fátima Almeida
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Em seu discurso de posse como procurador-geral de Justiça de Alagoas, na tarde desta segunda-feira (2), em Maceió, o promotor de Justiça, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, mostrou plena consciência do papel que terá pela frente, no combate à corrupção.

Alfredo Gaspar – Foto Márcio Ferreira/Agencia Alagoas

E com o mesmo ímpeto que falava de suas ações de combate ao crime organizado, quando foi secretário de Estado da Segurança Pública – cargo que ocupou por 14 meses, no governo Renan Filho – ele promete não dar trégua aos chamados crimes de colarinho branco, caracterizados pela corrupção nas instituições públicas.

“É o Ministério Público, por meio de seus agentes, que exerce a defesa dos direitos fundamentais em busca da transformação social, da eficiência das políticas públicas e do combate sem tréguas à corrupção e à criminalidade”, destacou ele, em seu discurso de posse.

E garantiu que seguirá o mesmo caminho de seus antecessores, numa gestão com diálogos e serenidade, na busca pelo aperfeiçoamento dos serviços prestados pela instituição e no combate à má gestão da coisa pública – um recado direcionado, principalmente aos novos gestores, que tomaram posse no último domingo.

“O país acabou de vivenciar uma eleição. Cidadãos foram às urnas e novos gestores e legisladores municipais foram eleitos. Em Alagoas não foi diferente. A sociedade espera boas administrações e o Ministério Público acompanhará tudo atentamente. E vai continuar zelando pela correta aplicação das verbas oficiais e pela transparência administrativa. Basta de erros”, disse ele.

Gaspar ocupa o lugar deixado pelo procurador de Justiça Sérgio Jucá, que chefiou a instituição nos últimos quatro anos. Junto com ele também tomaram posse os promotores Lean Ferreira de Araújo, no cargo de corregedor-geral do MPE-AL,  e Afrânio Roberto Pereira de Queiroz na função de ouvidor-geral.

Ao seu antecessor, Gaspar tratou como “uma abnegada figura que tanto orgulha Alagoas e enaltece o nosso Ministério Público”, e disse que a gestão de Jucá “dignificou os alagoanos e cumpriu corajosamente o seu papel”.

 

LEGADO

Emocionado, como um apaixonado que é pelo que faz, Sérgio Jucá também deixou seu recado, como o legado em sua gestão de 4 anos à frente do MP-AL.

“Os inimigos da nossa instituição são os transgressores da lei. Essas pessoas, naturais e jurídicas, incomodam-se com a ação do Ministério Público, que realmente é sem tréguas, porque temos um objetivo único, que é o de zelar pela rigidez do ordenamento jurídico. Temos a missão de fiscalizar a reta aplicação da Constituição e das normas infraconstitucionais”.

E respaldado na principal batalha travada em sua gestão – pelo julgamento e punição dos políticos envolvidos em um dos maiores escândalos de desvio de recursos na Assembleia Legislativa de Alagoas, que resultou na Operação Taturana, Jucá reforçou:

“Há quatro anos estamos cassando as aves de rapina que devoram o erário. Cumprimos fielmente a missão propondo incontáveis ações em todos os campos, e todo esse trabalho é uma prova irrefutável de que o que queremos é o bem do nosso povo. Continuemos guardando a lei e agindo na defesa dos interesses do destinatário final do Ministério Público: o povo”, defendeu Jucá.

ABACAXI

O governador Renan Filho falou de amizade e da responsabilizade que entregou a Gaspar. “Eu janeiro de 2015 eu coloquei nas mãos do Alfredo um abacaxi, o maior de Alagoas, e disse a ele: quem vai descascar é você. Fiz isso porque tive a certeza de que era a solução mais correta para a segurança pública de Alagoas. Ali estava um modelo de gestão que faltava, que era o trabalho conjunto, a ação parceira, a união sincera de esforços para reduzir a violência”.

E continuou: “Alfredo Gaspar conseguiu unir as polícias e sua experiência no Gecoc, trouxe junto o Ministério Público. E a Justiça, principalmente através da 17ª Vara Criminal, completou essa soma de esforços. Isso tudo resultou na histórica redução da violência em Alagoas”.

Alfredo Gaspar de Mendonça foi aclamado pelos membros do Ministério Público Estadual de Alagoas procurador-geral de Justiça (PGJ) no dia 30 de novembro de 2016. Candidato único, ele foi eleito com 144 votos e vai administrar os destinos do órgão por dois anos, no biênio 2017/2018.

 

  • Com informações da Assessoria do MP-AL

 

Deixe o seu comentário