8 de Janeiro de 2016 • 8:40 am

Blogs » Pequeno Polegar

A resposta da sogra do Considerado depois do Aconcágua. Paguei o pato

Não vejo a hora de encontrar o Considerado pela frente. Talvez tenha que rever esse nível de camaradagem com ele. O cara acostumado a aprontar a todo tempo – umas…

Por: Pequeno Polegar
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Não vejo a hora de encontrar o Considerado pela frente. Talvez tenha que rever esse nível de camaradagem com ele. O cara acostumado a aprontar a todo tempo – umas tantas vezes sem noção e outras por peraltice – e o pato agora sobra pra mim, um simples escrivinhador, como diz “o Coleguinha” (amigo do Considerado).

Contei aqui “a manha” que ele fez para a sogra levá-lo em uma viagem internacional. Acontece que e a nobre senhora leu o escrito e não gostou e tem suas razões. Por isso, peço-lhe a devida vênia. Dona Julita até confirmou que se livrou do Aconcágua por que tem um santo forte. Mas, quem ficou mal na fita fui eu. Esse pato eu tributo na conta do Considerado e não há suíno nenhum, nem temperado, que pague. E tudo por um “mero” detalhe. Veja abaixo a íntegra da carta de dona Julita para o blog do Pequeno Polegar.

 

  • Prezado senhor

Pequeno Polegar (desculpe, foi este o nome que ouvi do Considerado)

Chegou a meu conhecimento uma advertência sua sobre os propósitos funesto do Considerado a integridade física de minha pessoa, desde já agradeço  pela boa vontade de me fazer conhecedora  do  famigerado intuito.  No entanto graças a  minha intuição e ajuda dos meus Santos protetores o tal plano gorou, pois no dia da ida ao Aconcágua , num estalo de momentânea lucidez  resolvi não ir,acredite ,o Considerado ainda instou  muito para que eu fosse conhecer  a maior montanha das Américas, mas, como já disse antes, o meu Santo é forte( nem diga isso ao Coleguinha, pois vai me achar uma incauta por acreditar no imponderável, e no que não esta cientificamente comprovado ),

Achei o pseudônimo, ou como se diz hoje, codinome Julita agradável, pois me levou as lembranças da infância, de uma prima contadora de histórias de fantasmas e  assombrações, uma portuguesa de bigodes, — mas doce que doce de jaca,—   feito por minha avó. Quanto ao apodo de “veia” quero dizer educadamente e não se ofenda “veia” è alguém muito mais próximo do senhor.

Espero que o ano de 2016 seja de alegrias e realizações para o senhor e toda família  , um abraço cordial

                        Julita     

Ps: tudo é pura brincadeira o Considerado jamais faria qualquer coisa contra mim, tenho certeza,

                                                                     

 

 

1 Comentário

  1. Bom dia
    Tenho o privilégio de conhecer Dona Julita,tenham certeza, ela trata o considerado como um filho.
    Inclusive quando viajam, o considerado vai tipo 0800.
    Porém uma Família nota 10.

Deixe o seu comentário