14 de janeiro de 2017 • 1:23 pm

Blogs » Fátima Almeida

A taça do mundo é nossa! Brasil lidera ranking mundial de propinas nos EUA

No ranking elaborado pelo The FCPA Blog com base em lei americana anticorrupção, o Brasil é mencionado 19 vezes, seguido da China, mencionada 17 vezes

Por: Fátima Almeida
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Uma marca lamentável. Num levantamento feito nos Estados Unidos, o Brasil aparece no topo a corrupção mundial. É o país mais citado por empresas globais investigadas naquele país por suspeita de pagamento de propina no exterior. 

No ranking elaborado pelo The FCPA Blog (www.fcpablog.com), com base na Foreign Corruption Practices Act (FCPA ) – algo como Lei Anticorrupção no Exterior – o Brasil é mencionado 19 vezes como o país em que as empresas pagaram propinas, seguindo da China, que aparece em 2º lugar com 17 citações. O Iraque vem em 3º, com 8 citações. 
Os dados foram extraídos do Departamento de Justiça dos Estados Unidos (equivalente ao Ministério da Justiça brasileiro) e da Securities and Exchange Commission (SEC ), órgão regulador do mercado de capitais naquele país.
A FCPA foi criada em 1977 depois que investigações descobriram que a corrupção caracterizada pelo pagamento de suborno ou propinas envolvendo empresas multinacionais, estavam prejudicando investidores nos Estados. Hoje a lei anticorrupção é considerada bastante eficaz, pois as multas aplicadas são elevadas.
Com base em seus princípios, já foram punidas empresas gigantes como Siemens, Walmart, Alston e Monsanto. Conforme divulgado pela Folha de São Paulo, fazem parte da lista das empresas investigadas nos Estados Unidos a Petrobras, a Eletrobras e uma série de gigantes internacionais apanhadas na Operação Lava Jato, como a Rolls Royce (Inglaterra), Sevan Marine e Vantage Drilling Company (ambas da Noruega), SBM Offshore (Holanda), Technip SA (França) e Keppel Corporation (Cingapura).
Odebrecht e Braskem fecharam acordos com as autoridades americanas em dezembro do ano passado, justamente para encerrar os processos contra elas, e vão pagar a maior multa já aplicada pela violação da lei americana anticorrupção no exterior – pode chegar a US$ 3,5 bilhões (R$ 11 bilhões), valores a serem pagos em 23 anos. Por isso não aparecem na lista, segundo reportagem da Folha de São Paulo.
É a terceira vez que o ranking é divulgado. Nas duas primeiras, em 2015 e 2016, a China liderava, mas o Brasil já aparecia em segundo lugar. Na verdade, a impressão que se tem é que estávamos ‘correndo’ atrás deste vergonhoso título desde sempre e aceleramos o passo, praticamente dobrando, de 10 menções em 2015, paras as 19 atuais nesses dois anos.
Conseguimos chegar ao topo – da corrupção.
* Com base em informações da Folha de São Paulo. Confira a repostagem completa: http://www1.folha.uol.com.br/poder/2017/01/1849403-brasil-e-lider-em-ranking-de-propina-nos-estados-unidos.shtml

Deixe o seu comentário