3 de Maio de 2015 • 1:08 pm

Bleine Oliveira

Ação policial: porque atirar pra matar?

A Polícia Militar intensificou seu ritmo, consolidando-se como instituição imprescindível no combate à criminalidade. A tropa se sente prestigiada e segura para agir. Na luta contra a violência, o secretário…

Por: Bleine Oliveira
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

A Polícia Militar intensificou seu ritmo, consolidando-se como instituição imprescindível no combate à criminalidade.

A tropa se sente prestigiada e segura para agir.

Na luta contra a violência, o secretário de Defesa Social, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, tem razão quando diz que é melhor tombar um criminoso do que um policial.

Não somente por ter familiares na corporação, mas por necessidade da sensação de segurança, defendo que a PM seja respeitada.

Mas creio que é preciso rever essa coisa de auto de resistência, que tem sido usado para explicar as mortes de marginais.

Aprendi que, se resiste, o suspeito deve ser imobilizado. Aí vale acertá-lo no pé, para evitar que fuja.

Atirar pra matar não é a saída!

1 Comentário

  1. Concordo com vc, Bleine, quando fala em atirar no pé para evitar a fuga. mas quando o personagem está com uma arma de fogo na mão, atirando para matar o policial, uma bala no pé não vai imobiliza-lo.
    Quando o infrator, de pistola na mão, é cercado pela polícia, ele entra no desespero e atira para matar o policial. O policial, neste caso, reage para preservar a própria vida.
    O infrator deve entender que, ao ser cercado péla polícia, deve largar a arma e colocar as mãos na cabeça. Ai ele, o infrator, estará preservando a própria integridade física.
    É a minha opinião.

Deixe o seu comentário