21 de novembro de 2016 • 2:50 pm

Trânsito

Acidentes com motocicletas são causa de 70% das amputações em Arapiraca

Governo divulga números como alerta aos condutores que dirigem de modo imprudente

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone
Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Os acidentes de motocicleta em Alagoas estão criando uma geração de sequelados. Nos últimos três anos, somente no município de Arapiraca, 82 pessoas sofreram amputação de membros depois de sofrerem acidentes de trânsito, e destes, 70% eram condutores ou passageiros de motocicletas. Os dados mais atuais revelam que, de janeiro a outubro deste ano a Unidade de Emergência do Agreste, o principal hospital daquele município, registrou 18 procedimentos de amputações traumáticas.

Para o angiologista e cirurgião vascular da Unidade, Felipe Amorim Braga, muitas amputações são provocadas por acidentes evitáveis. Mais ainda, ele ressalta que o prejuízo pode ser bem maior do que a perda de um pedaço do corpo.

Muitos motociclistas desobedecem às leis básicas do trânsito, empinando suas motos, andando sem capacete ou até transportando mais de duas pessoas. Em muitas situações, a vítima é o chefe da família, responsável por levar o sustento da casa, que acaba ficando inválido”, alertou.

Muitas pessoas comparam a amputação a uma negligência de um atendimento que poderia ser melhor. As pessoas têm que ter consciência que a maior parte das amputações é consequência da gravidade de uma lesão. A necessidade da amputação traumática está associada a uma destruição grande de tecidos, esmagamento, contaminação e esfacelamento de partes moles. Nestas circunstâncias é necessária a amputação primária”, afirma o médico.

Além da amputação traumática, ainda existem outros tipos de amputações: vascular, congênita, infecciosa e tumorais. Em pessoas jovens, a maior causa de amputações é por traumas, que geralmente necessita de uma segunda intervenção cirúrgica, com vista à adaptação da protetização.

Deixe o seu comentário