3 de julho de 2015 • 11:57 pm

Blogs » Fátima Almeida

Ações integradas: Mediação de conflito nas bases comunitárias de segurança

Juiz defende ressocialização de adolescentes com prestação de serviço na 15ª Vara.

Por: Fátima Almeida
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

O trabalho nas bases comunitárias de segurança deve ganhar reforço em suas ações. Um convênio de cooperação técnica que deverá ser assinado nos próximos dias,  entre o governo do Estado, a Prefeitura de Maceió e o Tribunal de Justiça de Alagoas, promete o aporte técnico necessário à capacitação e coordenação de profissionais de segurança pública, visando à  implantação do programa de mediação de conflitos nessas bases comunitárias.

Trata-se de uma demanda da Câmara de Monitoramento do programa Brasil Mais Seguro, coordenada pelo TJ, explica o juiz Maurílio Ferraz. E ele já discutiu o assunto com o presidente do Tribunal, desembargador Washington Luiz Damascendo de Freitas, e com vice-presidente, desembargador João Luiz Azevedo Lessa, que está no exercício da presidência até o próximo dia 13, durantes as férias de Washington.

Ferraz explica que é intenção do Judiciário prevenir e reprimir a criminalidade por meio de ações integradas.

É bom!

RESSOCIALIZAÇÃO

Aliás, esse não é o único convênio na mesa da presidência do TJ, esperando para ser assinado. A absorção de adolescentes em conflito com a lei para prestação de serviços burocráticos na 15ª Vara Cível da Capital é outro foco dessa proposta de ações integradas. Esta vem com a intenção de contribuir para a ressocialização dos menores – e com a sociedade em geral, diga-se de passagem.

A data de assinatura dos dois convênios ainda não foi definida, mas deve ficar para a segunda quinzena deste mês, provavelmente quando o desembargador Washingnton Luiz retornar do recesso.

EM FAMÍLIA

A propósito, por onde andará Melina Freitas, nesses período de férias do ‘papis’?

 

Deixe o seu comentário