16 de Abril de 2016 • 2:27 pm

Política

Advogado deve depor na PF sobre declaração no wathsaap

Conversa que vazou na redes sociais, onde jurista fala em ocupar OAB e TJ, gera reações

Por: Fátima Almeida
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

O episódio envolvendo a divulgação de uma conversa num grupo formado por juristas alagoanos, no wathsaap, em que um advogado se exalta e fala em ocupar e até tocar fogo em instituições que ele considera “fascistas” – citando a OAB, o Tribunal de Justiça e setores da mídia – continua repercutindo e provocando reações diversas.

Além da grande repercussão nas redes sociais, onde a conversa vazou, entidades e instituições emitiram notas sobre o fato e o jurista terá que se explicar na Polícia Federal. Ele teria dito a um site de notícias que foi intimado a depor na próxima terça-feira.

Ontem, a presidente da OAB e o presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas emitiram notas institucionais considerando grave o teor das conversas, onde um advogado escreve: “Eu apoio todas as ocupações de órgãos fascistas como o TJ, OAB, órgãos da mídia, vou mais além: apoio ocupar e tocar fogo”, diz um trecho da conversa.

Na nota da OAb-AL, a presidente Fernanda Marinela diz que “o discurso propagado (…) demonstra um comportamento incompatível com o exercício da liberdade de expressão e do próprio estado democrático de direito”, e declara, em nome da entidade, que a OAB irá investigar o caso em todas as esferas e adotar as medidas jurídicas para proteger o patrimônio dos advogados e responsabilizar os envolvidos nesse episódio.

O presidente do TJ, desembargador Washington Luiz, disse que “as providências cabíveis estão sendo adotadas, no sentido de resguardar a integridade do prédio e das pessoas que nele transitam”, e que “a cúpula diretiva repudia, com veemência, qualquer tentativa de desrespeito aos preceitos constitucionais e democráticos vigentes neste país”.

No mesmo ritmo, o próprio Movimento Juristas Alagoanos pela Legalidade e pela Democracia, em cujo, no wathsaap, o advogado fez a declaração, emitiu nota esclarecendo que “opiniões pessoais, sem a chancela coletiva dos advogados e advogadas, não refletem o espírito democrático e, sobretudo, pacífico que motivou a reunião dos juristas alagoanos insatisfeitos com o apoio da OAB ao Processo de Impeachment da Presidenta Dilma Roussef”.

Nota do Movimento Juristas pela Democracia

Nota do Movimento Juristas pela Democracia

A reportagem do Éassim não conseguiu falar com o advogado que protagonizou a conversa. Informação publicada pelo site Gazetaweb diz que ele teria explicado que a conversa vazou de forma descontextualizada, e que, em conseqüência da sua declaração, teria sido intimado pela Polícia Federal a prestar esclarecimentos, na próxima terça-feira.

1 Comentário

  1. Eu não conheço tal advogado.Mas concordo totalmente com ele

    Adriel Batista Correia de Melo

Deixe o seu comentário