5 de setembro de 2016 • 2:50 am

Brasil

Aécio Neves cobra o pedágio ao governo Michel Temer

Senador diz que sem o PSDB Temer não governa nada

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) disse, em entrevista ao jornal O Globo deste domingo (4), que a fragilidade do PMDB em apoiar as reformas do governo de Michel Temer é o argumento para que outras forças não se exponham na defesa de mudanças na Previdência e nas leis trabalhistas. O senador quer espaço ampliado para seu partido dentro do governo.

Para o tucano, o PMDB não tem a mesma disposição de Temer para implementar reformas, e isso já seria um motivo para uma “DR” (discutir a relação entre as partes).

Aécio adverte Temer

Aécio adverte Temer

“Vejo isto (disposição) no presidente, mas não consigo enxergar na totalidade do PMDB. Temer tem que ter uma ‘DR’ com o PMDB. Se não começar com seu partido, uma senha estará sendo dada para que essas reformas não se viabilizem. Da mesma forma que Renan Calheiros deu uma senha ao encaminhar a votação (do fatiamento da pena de Dilma Rousseff), de forma inoportuna, para que o PMDB tivesse uma posição equivocada e de afronta à Constituição”, queixou-se o senador.

Aécio afirmou que o PSDB ecoa as posições de Temer com mais coesão que o partido do presidente. Ele disse que os tucanos não deixarão a base aliada antes de 2018, mas lembrou que o governo de Temer não existirá sem o apoio do PSDB.

“Sem o apoio do PSDB, não existirá governo Temer. O PSDB não pretende sair da base, sabe que o seu papel é imprescindível. Se o PSDB sair, quem perde é o governo. As cobranças do PSDB incomodam setores do PMDB? Talvez aqueles que tenham receio de enfrentar as reformas. Mas o núcleo mais próximo ao presidente tem reafirmado o compromisso com esta agenda”.

Para ele, é natural, no entanto, o desembarque se o próprio Temer não cumprir a agenda acordada com o PSDB. “Enquanto Temer se mantiver fiel a essa agenda que colocamos para o país, contará com o PSDB. Se percebermos que isto não está ocorrendo, o PSDB deixa de ter compromisso com este governo. Não é uma ameaça, apenas uma constatação natural”.

Questionado sobre a ação do PSDB no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para cassar a chapa eleitoral Dilma-Temer por suposto financiamento via empresas envolvidas na Lava Jato, Aécio desconversou, afirmando que o tribunal avaliará se Temer teve ou não responsabilidade no caso.

Deixe o seu comentário


Publicidade