7 de Abril de 2016 • 7:59 am

Saúde

Alerta vermelho para H1N1: governo quer antecipar a vacinação em massa

A morte do médico e ex-prefeito de Maravilha, Osman Catarina, ligou o alerta da saúde pública

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Com a morte do médico Osman Catarina, 60 anos, com suspeita de H1N1,  na Santa Casa de Maceió, a luz vermelha do alto risco acendeu de vez na Secretaria Estadual de Saúde, considerando que o monitoramento já indica três casos  com suspeita do virus em Maceió.

A vacinação é fuindamental

A vacinação é fundamental

Neste sentido, o governo pretende inclusive antecipar a campanha de vacinação em massa, que estava prevista para ser iniciada em 30 de abril. Mas, com os últimos acontecimentos, os técnicos serão cobrados para colocar a campanha na rua duas semanas antes.

A confirmação dos três casos suspeitos da H1N1 está dependendo de exames especializados na Fundação Osvaldo Cruz, no Rio de janeiro. A determinação do governo estadual é integrar o sistema de saúde no processo de monitoramento para a identificação de casos suspeitos com a maior rapidez possível.

Neste caso, os mini pronto socorros Assis Chateaubriand e João Fireman e os Hospitais Hélvio Auto e o Hospital Geral do Estado (HGE),são as referências nesse monitoramento e na coleta de material para análise

A mesma preocupação está sendo levada aos municípios pólos nas quatro regiões do Estado, para que se possa estabelecer não apenas o monitoramento, mas iniciar o alerta da prevenção permamente contra o virus da H1N1.

Deixe o seu comentário