20 de outubro de 2015 • 6:18 pm

Economia

Arapiraca entra no ranking das 10 maiores geradoras de emprego no país

Município alagoano teve um saldo de 2.829 vagas este ano, segundo dados do Ministério do Trabalho e Emprego

Por: Fátima Almeida
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Call Center A e C ampliando vagas em em Arapiraca - Foto Ascom Prefeitura

Call Center A e C ampliando vagas em em Arapiraca – Foto Ascom Prefeitura

Enfim uma boa notícia. Num levantamento feito pelo portal UOL, com base em dados do Ministério do Trabalho e Emprego, o município de Arapiraca, em Alagoas, aparece em 8º lugar entre as 10 cidades do país que mais geraram empregos com carteira assinada este ano.

Ao todo, a cidade alagoana ganhou 2.829 postos de trabalho. E um dos fatores que mais contribuíram para a boa performance de Arapiraca no ranking nacional foi a implantação da empresa de call center A e C, que sozinha gerou 1.200 vagas de emprego em 2015.

O ranking feito pelo UOL considerou apenas as cidades com mais de 30 mil habitantes, e considera como número de empregos gerados, o saldo entre o total de contratações e o número de demissões no período. A cidade campeã na geração de empregos, de acordo com o levantamento, foi Franca (SP), conhecido polo calçadista. Das 5.026 vagas geradas nos oito primeiros meses do ano, 4.311 foram na indústria de calçados.

Na sequência, o top 10 das cidades que mais geraram empregos, até agosto deste ano, incluem: Franca (SP) – 5.026; Juazeiro (BA) – 4.268; Pontal (SP) – 4.211; Bebedouro (SP) – 3.569; Cristalina (GO) – 3.511; Petrolina (PE) – 3.141; Matão (SP) – 2.888; Arapiraca (AL) – 2.829; Goianesia (GO) – 2.312; e Nova Serrana (MG) – 2.168.

FORÇA DO INTERIOR – A reportagem do portal UOL, feita com a colaboração do jornalista alagoano Carlos Madeiro, mostra também que, entre as 30 cidades maiores geradoras de emprego, 29 estão localizadas no interior, com exceção apenas da cidade de Goiânia, capital de Goiás.

Juntas, essas 30 cidades geraram 63 mil novas vagas, num contraste com a realidade do país, que este ano perdeu 573 mil vagas de trabalho, segundo o Ministério do Trabalho e Emprego. A atividade que mais se destacou entre esses municípios foi a agropecuária (dominante em 12 cidades). Em seguida, vêm indústria (oito cidades), serviços (cinco), construção civil (quatro) e administração pública (uma cidade).

Deixe o seu comentário