27 de Março de 2017 • 3:30 pm

Maceió » Saúde

Até adeversários políticos foram a evento do governador para anunciar hospital no Tabuleiro

Além dos aliados, estavam os não alinhados ao governo Pedro Vilela, JHC e Paulão, que também assinaram a emenda do hospital Metropolitano de Maceió

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Às margens da Via Expressa e ao lado do Condomínio Tabuleiro dos Martins, o governo do Estado realizou um megaevento com a participação de quase toda bancada federal, líderes políticos e apoiadores do governo, para lançar a pedra fundamental do Hospital Metropolitano de Maceió.

Além dos apoiadores, estavam no palanque os deputados Pedro Vilela (PSDB), JHC (PSB) e Paulão (PT), três parlamentares que hoje não rezam na cartilha do governo estadual, mas pousaram na foto oficial do evento por terem assinado a emenda de bancada que vai garantir parte dos recursos para a construção do hospital na parte alta da cidade.

Renan Filho e a bancda federal anunciando o hospital

Governador destaca atuação em benefício da saúde em Alagoas.

Todos eles foram convidados pelo próprio Renan Filho para que prestigiassem o evento, considerado pelo próprio governo alagoano como um marco na história da saúde no Estado.

Construção – A área construída do Hospital Metropolitano será de 13.904,19 m² em uma área total de 57.058,87 m². A obra acontecerá em três turnos e foi orçada em R$ 91.763.858,67. Entretanto, o valor final licitado foi de aproximadamente R$ 64 milhões, gerando uma economia para o Estado, como destacou o governador Renan Filho.

A unidade contará com 180 leitos, divididos em 100 para atendimentos clínicos, 20 para UTI adulto e pediátrico, e 20 de UCI e UTI Neonatal. Outra novidade será os atendimentos voltados para a mulher, com atendimentos clínicos e ginecológicos e 40 leitos obstétricos para partos normais.

De acordo com o planejamento do governo, o Hospital Metropolitano terá a capacidade de realizar cerca de 10 mil consultas por mês e com capacidade para atender, em especial, a população da parte alta da capital e dos municípios da Zona da Mata e Região Norte de Alagoas.

 

 

Deixe o seu comentário