11 de junho de 2015 • 11:49 am

Blogs » Fátima Almeida

Baile da Chita: o patrimônio e a identidade cultural de um povo

Projeto do deputado Inácio Loiola pode transformar evento em patrimônio cultural imaterial de Alagoas

Por: Fátima Almeida
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

chitaUma boa notícia vem do gabinete do deputado Inácio Loiola (PSB). A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Assembleia Legislativa aprovou parecer favorável ao Projeto de Lei n° 15/2015, que considera Patrimônio Cultural Imaterial do Estado de Alagoas, o Baile da Chita, realizado anualmente, no município de Paulo Jacinto.

Falta, agora, a aprovação em plenário e a homologação da lei.

O Baile da Chita nasceu de um movimento da juventude paulojacintense, na década de 1950, com o objetivo de angariar fundos para a campanha de emancipação política de Paulo Jacinto, à época, um povoado pertencente ao município de Quebrangulo.

Sucesso do momento, a música Rosinha de Propriá, de Humberto Teixeira, cantada por Luiz Gonzaga, ganhou versão de paródia para a mobilização dos jovens na luta pela emancipação, e virou tema do baile, até hoje tocada na abertura e no encerramento da festa.

O evento fez sucesso, desde o primeiro momento. Virou referência. Até Luiz Gonzaga passou por lá. E mesmo com o passar dos anos, mudanças de hábitos, até hoje o Baile da Chita é capaz de lotar a cidade, unir gerações de paulojacintenses e atrair pessoas de vários cantos de Alagoas e de outros estados.

No ano passado, ele não aconteceu, por falta de condições estruturais do Clube Cultural Recretativo Paulojacintense, que este ano foi recuperado, graças ao esforço abnegado de alguns conterrâneos que abraçaram a causa, para não deixar morrer o maior patrimônio cultural da cidade.  Este ano, já está agendado para o dia 18 de julho, e o deputado Inácio Loiola pode sentir-se convidado especial do povo de Paulo Jacinto.

Com esse projeto – quando transformado em lei – o Baile da Chita, que resiste ao longo de mais de seis décadas como uma das festas mais tradicionais do interior alagoano – e é, de fato, o maior patrimônio da cidade, e o que a torna conhecida – transforma-se, de fato e de direito, em patrimônio do povo alagoano. Mantém-se VIVO!

Quem nasceu e viveu em Paulo Jacinto; quem freqüentou o Baile da Chita no auge de sua existência, sabe da importância desse projeto, no sentido de resgatar e preservar uma festa que virou a identidade cultural de um povo.

Que assim seja!

1 Comentário

  1. Paulo jacinto disse:

    Vale lembra que antes do projeto ir para assembléia o mesmo foi apresentado pelo vereador Fabrício Faustino. E quando esse projeto foi levado para câmara municipal de nossa terra os 6 vereadores que fazem parte da base do governo pediram vistas no projeto. O projeto só foi aprovado pq nós nos mobilizamos nas redes sociais. O vereador Fabrício está de parabéns, pois esse vale pelos outros que só sabem comer e nada de resolver e apresentar algum projeto.

Deixe o seu comentário