25 de janeiro de 2016 • 6:22 pm

Saúde

Bancos de sangue fazem o alerta vermelho aos doadores para o carnaval

Santa Casa de Maceió faz campanha durante toda semana para atrair os doadores.

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Por  Theodomiro Jr.

Baixo estoque nos bancos de sangue + Ausência de doadores no período de férias + Aumento de demanda no carnaval = Risco de vida para quem recorre aos hospitais. Essa fórmula acima é a principal preocupação dos profissionais que atuam no Banco de Sangueda Santa Casa de Maceió e nos demais bancos de sangue e hospitais de todo o país.

Doadores em alerta para os chamados.

Doadores em alerta para os chamados.

Se por um lado os doadores somem neste período de férias, por outro, os casos emergenciais cirúrgicos aumentam no carnaval. Além disso, tem os pacientes leucêmicos, que precisam receber transfusões de plaquetas diariamente para se manterem vivos enquanto tentam debelar o câncer.

Tanto num caso como no outro, os pacientes dependem da boa vontade dos doadores de sangue para ter uma chance de vida.

Por isso, a Santa Casa de Maceió realiza durante toda esta semana – até quinta-feira (28) – uma campanha de chamamento aos doadores regulares e aos novos doadores para a coleta de sangue e de plaquetas.

A iniciativa visa aumentar os estoques de sangue – principalmente os de tipo negativo – em preparação para o período do carnaval. A ação é comandada pelo Serviço de Hemoterapia da instituição.

Requisitos – Para ser doador de sangue e hemocomponentes, neste caso plaquetas, é preciso estar em boas condições de saúde, pesar mais 55 quilos, ter descansado no mínimo 6 horas nas últimas 24 horas, não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 24 horas, não ter feito tatuagem a menos de dois anos e ter entre 16 e 69 anos.

Após a doação, o voluntário deve tomar bastante líquido, evitar esforços físicos exagerados por pelo menos 12 horas, não fumar por cerca de duas horas, evitar bebidas alcoólicas por, no mínimo, duas horas, não dirigir veículos de grande porte ou trabalhar em grandes altitudes, como andaimes, nem com grande pressão, como mergulho.

Como doar sangue – A falta de informação é um dos principais obstáculos para o aumento da doação de sangue no país. Sem oferecer riscos à saúde, a coleta é feita em 20 minutos e todo o material utilizado é descartável. Diferente do que muitas vezes é alardeado, o doador não é obrigado a doar sempre.

Ao chegar ao Serviço de Hemoterapia, os voluntários novos devem realizar o cadastro, submeter-se ao teste de microhematócrito (teste de anemia), verificar peso, altura e temperatura e passar por uma avaliação clínica. Se liberado pelo médico, será preciso assinar o termo de consentimento para, então, fazer a doação de sangue.

O cadastro para a realização da doação deve ser feito na sede do Serviço de Hemoterapia, que fica na Rua Barão de Maceió, ao lado da Santa Casa, no centro de Maceió. A unidade funciona das 7h30min às 11h e das 13h às 16 horas. Exclusivamente nesta semana que antecede o carnaval, o atendimento encerra-se na quinta-feira (28).

Plaquetas –A campanha também alerta para a doação de plaquetas para os pacientes da Santa Casa de Maceió. As plaquetas destinam-se a pacientes em tratamento para leucemias e outros tipos de câncer, os submetidos a transplante de medula óssea, as cirurgias cardíacas, as vítimas de trauma, dentre outros.

Elementos do sangue que atuam na coagulação, as plaquetas impedem os sangramentos e pode ser feita com maior freqüência que a doação de sangue: até uma vez ao mês.

O procedimento de coleta de plaquetas por aférese consiste na retirada do sangue total do doador, separação dos componentes por meio de centrifugação, retenção de parte das plaquetas e retorno dos demais componentes do sangue para o doador. Todo o processo dura cerca de 90 minutos.

Pode ser realizada a cada 72 horas, não ultrapassando 24 doações em 12 meses. A reposição das plaquetas pelo organismo é rápida e ocorre em torno de 48 horas.

É considerado apto, o voluntário que estiver em boas condições de saúde, ter peso superior a 60 quilos, não usar medicação que contenha AAS e outros antiinflamatórios, possuir acesso venoso calibrosa, possuir contagem de plaquetas superior a 170.000UI e ter disponibilidade de, pelo menos, uma hora e meia para o procedimento. Os cuidados após a doação são os mesmos da doação de sangue.

Deixe o seu comentário