9 de dezembro de 2015 • 7:07 pm

Interior

Bandidos mantém reféns em agência dos Correios por mais de quatro horas

Eles anunciaram assalto por volta das 15h, na Barra de São Miguel, recolheram dinheiro e objetos, mas foram surpreendidos pela polícia. Ação terminou com três pessoas presas

Por: Fátima Almeida
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Foto: Sandro Quintela (Real Deodorense)

Área está cercada pela polícia. (Foto: Sandro Quintela – Real Deodorense)

Durou cerca de quatro horas uma tentativa de assalto a uma agência dos Correios, na Barra de São Miguel. Bandidos armados invadiram o local por volta das 15h, e mantiveram várias pessoas reféns, entre funcionários e usuários dos serviços. Guarnições das polícias Civil e Militar, inclusive o Bope, cercaram o local, mas as negociações foram demoradas, para não colocar em risco a vida das vítimas.

A Polícia Federal também foi acionada e está  no local. Somente agora, após às 19h, os três assaltantes liberaram todos os reféns e se entregaram à polícia. Não houve mortos.

A ação criminosa teve início no meio da tarde. Os bandidos exigiram a presença da imprensa, coletes a prova de balas e um veículo para deixarem o local. Familiares dos reféns e dos próprios assaltantes tentaram ajudar nas negociações, mas os criminosos avisaram que poderia haver mortes se a polícia tentasse invadir a agência.

Algumas pessoas foram liberadas pelos assaltantes antes do início da noite, entre elas o gerente e uma mulher, que passaram mal. Outras pessoas foram sendo liberadas gradativamente e informaram que os bandidos recolheram dinheiro e objetos de quem estava dentro da agência, e que o clima ficou muito tenso quando eles perceberam a chegada da polícia.

Neste momento, as pessoas que foram feitas reféns estão recebendo atendimento no local, por causa do estado emocional em que se encontram. Mas não há informações de feridos. Os criminosos estão sendo encaminhados para a sede da Polícia Federal, em Maceió.

 *Colaborou, com informações e foto, Sandro Quintela, do portal Real Deodorense

 

 

 

 

Deixe o seu comentário