Bleine Oliveira

Jornalista profissional, graduada em Direito. Em 2008 conquistou o Prêmio Banco do Brasil e Petrobras de Jornalismo.

Eles reivindicam, o povo se…!

6 de julho de 2017 • 1:01 pm
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

O Sindicato dos Rodoviários de Alagoas iniciou a discussão do reajuste salarial para este ano. A categoria pede aumento de 15% nos salários e 15% no valor do ticket-alimentação. As negociações já foram iniciadas, com previsão de mais três reuniões, a última no dia 21.

Nada demais. Uma categoria lutando por dignidade salarial.

Mas eis que o presidente do sindicato, Écio Ângelo, vai a público (programa Ministério do Povo, da Rádio Gazeta) dizer que enquanto negocia, os motoristas farão paradas nas garagens das empresas para avaliar o resultado das reuniões. Será de 25 a 28 deste mês.

Ou seja, a população vai ficar sem transporte durante essas avaliações.

“Vamos paralisar as atividades em cada empresa, em suas garagens, até o início da manhã. Na oportunidade, os rodoviários analisam a proposta e votam. Pode haver paralisação geral das atividades caso a categoria não venha a aderir à proposta empresarial”, disse o dirigente sindical.

Mais interessante ainda é o argumento dele para a reivindicação:

“Estamos pedindo a inflação mais o ganho real, porque sempre conseguimos e, agora, não será diferente”.

É só isso, e nada mais!


A cobrança de Rui ao impopular Michel Temer

3 de julho de 2017 • 11:35 am
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Rui acompanhou Temer em Maceió, junto com o governador Renan Filho

Está certíssimo o prefeito de Maceió, Rui Soares Palmeira, ao criticar o presidente Michel Temer, cobrando a ajuda que prometeu para as cidades nordestinas atingidas pelas chuvas. “O presidente veio a Maceió, fez promessa e até agora nada aconteceu!” – reclama ele, revelando que apenas com recursos próprios a Prefeitura não tem condições de reparar os estragos. Rui inclusive decidiu ir cobrar essa ajuda humanitária, que é devida aos alagoanos, em Brasília.

Mais uma pra conta do impopular Michel Temer, denunciado por corrupção.

“Vão ser liberados recursos. Para isso estamos aqui e, com o decreto de emergência já estabelecido (pelo Estado), podemos fazer isso. Os valores não temos ainda. Precisamos verificar quais os danos e o que é preciso fazer”, afirmou o impopular presidente, no final da tarde do dia 28 de maio, em reunião com autoridades alagoanos, no quartel do 59º Batalhão de Infantaria Motorizada (59º BIMtz).

Passados mais de 30 dias, nada…

Nenhum centavo chegou ao Estado!

Tudo bem que a contabilidade foi manipulada, quando se falou em 37 mil desabrigados!

Porém, independentemente da ‘traquinagem’ de alguns, cerca de 2 mil alagoanos, em cidades como Atalaia, Jacuípe, União dos Palmares, Marechal Deodoro e Murici, foram afetados pelas chuvas.

Aqui houve inundações e mortes: pessoas morreram soterradas e milhares precisaram deixar suas casas.

Assim, vale ressaltar a cobrança do prefeito Rui Soares Palmeira que, aliás, deveria ser mais dura!

“Eu chamava logo de cabra mintiroso” – reage Dilma, a faxineira aqui de casa.

Mulher, tenha calma!


A escória que cerca Michel Temer

28 de junho de 2017 • 2:55 pm
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

As figuras que estavam no grupo que cercou o ainda presidente Michel Temer,  nesta terça-feira, 27, durante sua fala sobre a denúncia do procurador Rodrigo Janot, que podem destituí-lo do mandato, são de chamar a polícia.

Em texto na Folha, Bernardo Mello Franco, revelou quem ladeava Temer.

Do seu lado direito estava André Moura, réu em três ações penais e investigado por suspeita de homicídio. Do esquerdo, Raquel Muniz, mulher de um ex-prefeito preso sob acusação de corrupção. Logo atrás dela despontava Júlio Lopes, delatado na Lava Jato e citado nas investigações do esquema de Sérgio Cabral”.

Algo assim como “Ali Babá e os 40 ladrões”.

Mas há uma explicação aceitável:

É difícil a pessoa montar uma trupe com gente de ficha limpa, às pressas, e quando só se tem convivência com a escória.

Presidente Temer, v.excia não tem ‘aquilo roxo’, ou seja, falta-lhe tutano para o enfrentamento a que se propõe.

Portanto, melhore!


A permanente luta contra as drogas

25 de junho de 2017 • 10:36 pm
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Mais uma iniciativa do Fórum Estadual de Combate às Drogas, o debate sobre Legalização ou não da Maconha no Brasil, teve a participação da promotora Alexandra Burlen, dos juízes Ney Alcântara, Luana Cavalcante e Roberto Alcântara, do médico Urânio Paiva e do advogado Leonardo Moraes. Realizado numa sala do cinema do Maceió Shopping, a iniciativa ganha importância por tratar de um assunto que continua a exigir a atenção da sociedade.

Numa semana que terminou com as chocantes imagens do ator Fábio Assunção, cujo problema com as drogas é de conhecimento público,  sendo preso, completamente desnorteado, numa cidade do interior de Pernambuco, as constantes ações do Fórum são um alento na luta de conscientização sobre os males que resultam do uso de drogas.

“A prevenção, através das informações, continua sendo o meio mais eficiente para evitar o uso!” – disse a psicóloga Noélia Costa, presidente do Fórum. Ela destacou a importância do debate e da exposição, com opiniões de autoridades e formadores de opinião sobre o tema. “A exposição foi ótima. Vimos pessoas interessadas em visitar e conhecer a prevenção” – completou ela.

Quem visitou a exposição parabenizou a presidente do Fórum por mais uma iniciativa, desta vez marcando os 10 anos de atividades do FPCD. “Continuaremos trabalhando, contribuindo para aliviar o sofrimento que resulta dos efeitos maléficos do uso das substâncias psicoativas” – acrescentou Noélia Costa.


E segue Renan Filho ‘pulando fogueira’ na frente do prefeito

13 de junho de 2017 • 7:29 pm
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Essa alma quer reza, em 2018! – afirmou um colega, em grupo no whatsaap, logo depois que o governador Renan Filho (PMDB) anunciou o aumento de 6,29% para os salários dos servidores públicos.

Claro que não. Imagine!

E RF é político de querer reza??

Queridos leitores, nas terras alagoanas, o jovem governador, que tem uma solução para todo problema, é o próprio bispo.

Salvo uma catástrofe, em 2018 RF vai rezar a missa inteira.

Né isso, prefeito Rui Soares Palmeira?

Sim, por que é uma ação atrás da outra.

Essa do reajuste salarial, então… misericórdia.

Servidor público pode ver o mundo se acabando, mas se for garantido aumento de seu salário, o governante de plantão é considerado o máximo. Leva tudo!

Concordem ou não, funcionário público satisfeito faz a diferença em qualquer eleição.

O prefeito Rui Soares Palmeira reuniu sindicatos e entidades de classe para anunciar que não tem condições de reajustar os salários dos servidores municipais, que também reivindicam os 6,29% da inflação oficial.

E apontou a crise financeira como causa do reajuste ZERO.

Aí vem RF e… pa!

Esfrega’ (mera figura de linguagem, por favor!) duas parcelas no nariz de seu provável principal concorrente em 2018.

Os servidores do Estado terão 3,15% no mês de junho e o 3,14% em dezembro.

Não é nada, não é nada… é a inflação oficial!


No São João de Maceió, Rui sai tosqueado e Renan Filho solta o rojão

9 de junho de 2017 • 5:35 pm
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Foto: Agência Alagoas

O prefeito de Maceió, Rui Soares Palmeira (PSDB), aproveitou o clima de tragédia provocado pelas chuvas que detonaram vários bairros da cidade, para anunciar uma medida, digamos, difícil.

Com anúncio feito pelo presidente da Fundação Municipal de Ação Cultural (FMAC), Vinícius Palmeira, o prefeito mandou dizer que não há condições de promover os festejos, diante da situação de emergência na cidade.

A prioridade, nesse momento, é a reconstrução dos danos causados pelas chuvas. Além disso, o clima nos bairros está impraticável para comemorações, já que a cidade está danificada, precisando de reparos”, justificou o sempre alegre secretário.

Tudo bem? Tranquilo? Podemos seguir em frente, deixando o cara trabalhar?

Não, querido leitor!

Eis que o mais forte adversário político de Rui Soares Palmeira, vem a público anunciar que… vai ter forró em Maceió.

Nesta sexta-feira, 9, o governador Renan Filho, que tem sempre uma solução para qualquer problema, reuniu, no Palácio República dos Palmares, representantes de 32 trios de forró para dizer que vai realizar o “São João da Solidariedade”.

Com a decisão, RF faz um golaço, alegrando esses profissionais que, junto com as 16 bandas de forró da capital, ficariam à toa no período em que mais têm oportunidades de trabalho.

Aí não deu outra, a alegria irradiou pelos quatro cantos do Palácio, ao som do hino de Alagoas, cantado por Eliezer Setton, acompanhado por mais de dez sanfoneiros.

Melhor do que isso, só o discurso do governador:

Em nosso bicentenário, estamos fazendo uma caixa que será lacrada e só será aberta no tricentenário de Alagoas, daqui a cem anos. O cidadão vai perguntar: ‘O que fizeram os governantes no centenário e no bicentenário?’ E ali estará registrado algo muito importante: foi feito um movimento em defesa da cultura, do forró e das tradições de alagoas”, disparou Renan Filho.

Prefeito, punossasinhora, melhore!

Não se tira alegria do povo. Nem na tragédia!


O Legislativo alagoano e a segurança pública

7 de junho de 2017 • 5:13 pm
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

 

O Poder Legislativo quer “colaborar com medidas na execução da política estadual de segurança pública, que, em Alagoas vive hoje uma grave crise, interferindo diretamente na vida dos alagoanos com altos índices de criminalidade que assola o Estado” – diz o autor do requerimento para uma audiência pública sobre o tema, deputado Francisco Tenório (PMN).

Serão convidadas todas as autoridades da área.

Quando? No próximo dia 20.

Onde? No plenário da Assembleia, na Praça Pedro II.

Discutir as questões de segurança pública é normal em qualquer ambiente, da família à mesa de bar, da escola à universidade. Afinal, esse é um tema do interesse de todos e de qualquer um.

Mas, o que a sociedade alagoana pode esperar de um debate sobre segurança pública, realizado pela Assembleia Legislativa estadual?

– Oxe, eu que num ia! – reage Lucilene, a faxineira aqui de casa.


Quem fiscaliza o uso das verbas para o povo enfrentar enchentes?

1 de junho de 2017 • 7:59 pm
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Chega a R$ 13 milhões a ajuda financeira emergencial que o governo federal destinou a Alagoas, para assistência às famílias afetadas pelas chuvas na capital e no interior do Estado.

Curioso é que tem meio mundo de autoridades querendo fiscalizar a utilização do dinheiro.

Na Assembleia Legislativa, por exemplo, o deputado Bruno Toledo (Pros), usou a tribuna para dizer que visitou os municípios atingidos pelas chuvas e, na mesma tacada, solicitar à Mesa Diretora a criação de uma comissão parlamentar “com objetivo de acompanhar a utilização dos recursos estaduais e federais destinados a reconstrução das cidades”.

De olho na lisura das ações e em propostas como a apresentada no Legislativo, o Ministério Público estadual criou um grupo de trabalho, unificando a atuação das promotorias de Justiça, para propor uma forma de fiscalização do uso desses recursos pelos gestores públicos nos municípios atingidos.

Imagine, queridos leitores, se a União destinar maior volume de recursos para obras estruturais nas 27 cidades que estão em situação de emergência ou calamidade pública!

Que festa para os prefeitos!


O que Temer veio fazer em Maceió?

29 de maio de 2017 • 2:09 pm
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Nada de efetivo, em termos de recursos ou de obras, foi assegurado na visita de Temer.
Foto: Ricardo Lêdo/GA

O presidente Michel Temer (PMDB) veio a Maceió, na noite do domingo, lamentar as mortes de quatro pessoas, causadas por deslizamentos de terra em Maceió. No encontro com o governador Renan Filho (PSDB) e o prefeito Rui Palmeira (PSDB),prometeu ajudar os municípios mais atingidos pelas chuvas.

Depois de uma reunião à portas fechadas com as autoridades locais, na sede do 59º Batalhão de Infantaria, no bairro do Farol, falou com a imprensa para dizer:

“Precisamos cumprir a emergência, ou seja, recuperar os danos causados pelas chuvas, e mais adiante, fazer as obras indispensáveis, que sejam preventivas. Temos que proteger as encostas para que não haja deslizamentos”.

Olha aí, gente da periferia, como é genial o presidente Temer!

Porém, e ao contrário do que se esperava, não revelou quanto deve ser liberado, e nem quando esses recursos chegarão ao Estado.

Mais do que isso, Temer não visitou áreas de risco, não foi a ginásios onde estão desabrigados – são mais de 3 mil famílias. Enfim, abalou-se de Brasília a Maceió somente para ouvir relatos dos danos provocados pelas chuvas.

Podia ter ouvido pelo telefone, áudio em e-mail, messenger, whatsaap, fita cassete, etc


Chove, e Maceió chora!

24 de maio de 2017 • 3:21 pm
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Basta meia hora de chuva e Maceió para. Embora se saiba com antecedência quando vai chover – tai o prefeito falando o tempo todo em quadra chuvosa, a gestão municipal pouco faz para evitar a bagaceira que a cidade está vivendo nesta quarta-feira, 24.

Choveu, as ruas ficam alagadas, o trânsito que é lento se torna caótico. O tempo para se ir de um bairro ao Centro, ou da parte baixa à alta, duplica.

Falta energia, os semáforos apagam e a situação piora, deixando o trânsito estressante.

As áreas tradicionalmente problemáticas, como no bairro da Levada, via de trânsito entre o Farol e o Trapiche, se tornam intransitáveis.

A Rua Miguel Palmeira, no Farol, é outro exemplo da ineficiência da gestão pública. Vale ressaltar que o problema ali tem mais de três décadas, e a Prefeitura não resolve.

Assim, a população volta a enfrentar os transtornos do inverno, que ainda nem chegou de fato. A estação chuvosa terá início à 1h24, do dia 21 próximo!

Bem que os órgão municipais de infraestrutura e limpeza urbana poderiam se antecipar e cuidar da cidade com mais eficiência.

A limpeza de galerias deve ser rotina, minha gente!

A Prefeitura precisa manter equipes em permanente trabalho de limpeza de bocas de lobo pela cidade. Afinal, com ou sem as águas das chuvas, lixo e entulhos jogados nas ruas e locais públicos vão para as galerias. O resultado é entupimento e alagamento.

É fato que, nesse problema, a população tem papel fundamental. O povo deve colaborar, parando de jogar lixo nas ruas. Mas a Prefeitura precisa tornar o sistema de coleta mais eficiente.

Assim, diante dos transtornos que todos enfrentamos na quadra chuvosa, resta torcer que um dia Maceió seja de fato uma cidade que sorri!