Marcelo Firmino

Marcelo Firmino é jornalista e publicitário com passagens em vários veículos de comunicação de Alagoas e do País. Foi presidente do Sindicato dos Jornalistas no Estado e Secretário de Comunicação da Prefeitura de Maceió. Nesse espaço reportará e analisará os fatos que influenciam na vida sociedade.

Estranha obsessão: governo só quer saber da reforma da previdência

27 de junho de 2017 • 2:45 pm
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Com sete inquéritos nas costas na Operação Lava Jato, o líder do governo no Senado e um dos principais articuladores do Planalto no Congresso, Romero Jucá (PMDB-RR), disse que não há por que se preocupar com as denúncias contra o Presidente MIchel Temer e sim partir logo para aprovar a Reforma da Previdência.

Senador Romero Jucá: o líder de Temer.

Parece obsessão. O governo apodrecido, o lamaçal da corrupção infestando a Esplanada, em Brasília, mas, o pessoal do governo quer prestar contas a elite econômica com a Reforma da Previdência a qualquer custo.

Por que será? Os bancos querem a reforma de qualquer jeito assim como os grandes conglomerados empresariais. Isso, portanto, remete a poder econômico e onde tem poder tem dinheiro.

É possível, portanto, que essa fatura já tenha sido paga lá atrás e agora a cobrança é insistente.

Ou dá ou desce.

A final, nada justifica tamanha correria com essas reformas diante da gravidade do paiol de denúncias contra Michel Temer. Ou seja, o governo acabou mas estão todos se agarrando as colunas e pilares do poder.

E nesse cenário a arrogância tem sido uma arma e tanto. “Nada nos destruirá. Nem a mim nem aos meus ministros”, foi o tom de Temer antes das denúncias da Procuradoria Geral da República.

Não satisfeito, Jucá diz agora que se a proposta da Reforma da Previdência não for aprovada “o governo constrói outra solução”.

Nitidamente um recado para alguém importante que não é o pobre dependente do sistema previdenciário.

 

 


E de repente esconderam o pau que bateu em Chico, para não ferir Francisco

26 de junho de 2017 • 8:09 am
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Nem sempre o pau que bate em Chico bate em Francisco.

Que o diga o senador afastado Aécio Neves que foi um dos ativistas no Senado pela cassação do mandato do ex-senador Delcídio Amaral, ex-tucano e ex-petista, com os mesmos problemas de justiça do senador mineiro.

Os de Aécio, segundo a justiça, após delação da JBS, ainda mais graves. Porém, o Conselho de Ética do Senado desconsiderou os casos e manteve o mandato do senador, que foi candidato à Presidência da República na última eleição.

Tem mais…

Quando vice-presidente, Michel Temer, em campanha para derrubar Dilma Rousseff do poder e assumir a presidência, fez discurso em São Paulo contra a então presidente dizendo que ninguém se sustentaria no poder com 7% ou 8% de aprovação. Hoje na presidência, Temer tem insignificantes 2% de aprovação.

E imagine

O ministro do STF, Gilmar Mendes, vai à jantares aos domingos, reúne-se às caladas da noite com Michel Temer nos palácios e articula de todas as maneiras para mantê-lo no cargo, a apesar de todas as denúncias  e evidências – com mala e sem mala de dinheiro – que maculam, depõem e jogam na lama a imagem do chefe da Nação.

E eis que o mesmo Gilmar, por muito menos, atuou abertamente dentro do Judiciário e fora dele, para derrubar a presidente anterior. Conseguiu o feito.

A corrupção

Pra refrescar a memória, não faz muito tempo que uma série de movimentos financiados por PSDB, DEM e outros partidos estavam nas ruas com trios elétricos, bradando a todos que era preciso derrubar o governo por que o problema era a corrupção. E lá se foram todos com disseminação do conteúdo pós-verdade nas redes sociais e até com brigas nas ruas. Era a oposição que não venceu nas urnas, mas venceu nas ruas e a presidente caiu. A oposição então passou a ser governo.

O resultado é que a corrupção está ainda mais explícita e pegou dois ícones fortes, quase gurus (de muita gente!), como Aécio Neves e Michel Temer, sem falar nos de menores estaturas.

Mas, aí esconderam o pau que bateu em Chico, para não ferir Francisco.

É o retrato do Brasil, hoje, quando os interesses escusos valem mais do que valores e princípios humanos.

 

 

 

 


PF prende 15 policiais por corrupção; um mal impregnado na sociedade

23 de junho de 2017 • 4:13 am
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

A corrupção no País não é obra e graça apenas da classe política. Trata-se de um mal que brota do seio da sociedade. A mesma que reclama e pede punição para todos, mas é incapaz de fazer autocrítica dos seus atos cotidianos.

Imagine que aquele japonês da Polícia Federal que ficou famoso por conduzir políticos à prisão era um corrupto notório, que estava na ativa com vários processos de corrupção passiva e por isso mesmo acabou preso meses depois. Ainda assim desfilou no Congresso e foi homenageado como se fosse a figura mais íntegra da República.

Mas, não apenas ele. Ontem, quinta-feira, 22, a própria Polícia Federal prendeu, de uma só vez, 15 policiais rodoviários federais, todos acusados de corrupção. Foram presos em Belo Horizonte.

Junto a eles também foram levados ao xilindró mais 4 empresários do triângulo mineiro igualmente denunciados pela mesma causa.

Lá batizaram a operação policial de Domiciano. Segundo PF, a maioria dos policiais presos tem mais de 20 anos de carreira na  Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Eles cobravam a propina ao abordar os caminhoneiros nas rodovias. Costumavam remover os veículos aos pátios, os quais, já faziam parte do esquema. As vítimas pagavam os valores aos pátios, que repassavam parte do dinheiro aos policiais rodoviários.

Todos serão indiciados por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, entre outros crimes.

Os casos vão se repetindo pelos quatro cantos do País, provando que a corrupção esta impregnada no estilo de ser do brasileiro, viciado na esperteza, no jetinho para levar vantagem, na cara de pau para fular a fila, na pressa desmedida para burlar a lei.

Assim, nas bandas de cá, caminha a humanidade. Não é coisa de um ou mais partidos políticos. Está no caráter abrangente dos homens.

É triste, mas real.


Assomal condena proposta de retorno à ativa dos coronéis da reserva da PM

22 de junho de 2017 • 12:39 pm
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

A Associação dos Oficiais da Polícia Militar de Alagoas (Assomal)  considerou um retrocesso  sem precedentes a emenda Constitucional do deputado estadual Francisco Tenório (PTN), aprovada em segunda votação pela Assembleia Legislativa, que garante o retorno à ativa de todos os coronéis da reserva até os 65 anos de idade.

Para o presidente da Assomal, tenente-coronel José Cláudio, trata-se de uma proposta absurda que deve ser vetada pelo governador Renan Filho, na visão do líder da entidade representativa da corporação.

PM: reação a emenda Tenório.

Segundo ele, o absurdo é tamanho que além de alterar o Estatuto da Polícia Militar, ainda vai na contramão das regras do plano de aposentadoria dos militares, instruído dentro da reforma da Previdência.

O líder da Assomal disse que a entidade é radicalmente contra a proposta do parlamentar, que também é delegado de polícia, “por representar  um prejuízo ao fluxo da carreira do policial militar e a operacionalidade do serviço”.

Trata-se, segundo disse em nota,  um retrocesso e um desserviço a corporação e à sociedade.


Temer grava vídeo na cara de pau e tucanos estão a clamar ‘inocência’

19 de junho de 2017 • 9:01 am
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

O Palácio da Alvorada foi palco de mais uma ação “cara de pau” do presidente Michel Temer, neste domingo, 18, véspera da viagem dele para a Rússia e a Noruega.

Temer: cara de pau.

À espera de uma denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ainda nesta semana, Temer gravou  um vídeo para ser postado em redes sociais, nesta segunda-feira, 19, no qual afirma que “criminosos não ficarão impunes no País”. Não sei se é pra rir ou pra chorar.

A questão é o presidente está sendo ivestigado pela Procuradoria Geral da República pelos crimes de corrupção passiva,  obstrução de justiça e organização criminosa. Aliás, a revista Época traz esta semana uma longa entrevista que, na capa, diz que “Temer é o chefe da quadrilha mais perigosa do Brasil”.

No vídeo que gravou, Temer fala que fará seu passeio fora do País, a partir desta segunda até a sexta-feira. Segundo ele, tratará de questões comerciais, embora para o mundo não tenha mais nenhuma credibilidade para negociar em nome do País.

Ele se ausenta, em meio a um clima político efervescente, principalmente quando nesta terça-feira, deverá chegar ao Senado Federal o pedido do Supremo Tribunal Federal (STF) para processar o senador Aécio Neves (PSDB) pelos mesmos crimes de que o próprio Temer é acusado.

Em enquanto isso, a base aliada e, sobretudo, os tucanos agora vivem a clamar “inocência”.

Tiste Brasil.

 


Humilhação e tristeza no Rei Pelé: o CRB decepciona mais uma vez

17 de junho de 2017 • 6:36 pm
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

O CRB é só tristeza. O campeonato da série B está na sua oitava rodada e o galo desanda, manco, torto, de canto rouco de tanto perder. Neste sábado, 17, mais uma derrota dentro de casa. Era tudo que não podia acontecer neste momento.

CRB: agora é vice lanterna do campeonato

O time vem de três derrotas seguidas e se mantiver esse ritmo não haverá outro caminho senão a série C no próximo ano.

Mas, há tempo para reação e cabe a diretoria resolver esse problema o quanto antes. As apresentações bizarras mostram uma equipe sem comando e despreparada.

É bom que se diga que a diretoria tem toda responsabilidade nisso. Principalmente por ter falhado no planejamento da equipe para a série B. Planejamento falho que se viu já no campeonato alagoano, quando parte da equipe e o técnico Léo Condé (já afastado) foram questionados severamente por torcedores regatianos.

O time venceu o alagoano sem convencer. E praticamente manteve o mesmo grupo para série B, adicionando algumas peças que deveriam ser importantes, mas que nada ou quase nada têm produzido nesta competição.

A derrota para o Londrina por 3 a 0 em pleno Rei Pelé foi humilhante. O torcedor regatiano não merecia tamanho revés.

O galo agora despenca na tabela para a zona de rebaixamento. É o vice lanterna do campeonato. Que horror!

E vai ser difícil sair de lá da forma como está se comportando em campo. Um time sem alma, sem ritmo e sem qualquer tipo de sentimento pelas cores alvirrubras.

Simplesmente lamentável. O CRB é só tristeza. Pura tristeza!

 


Temer: um pato manco à frente de uma comédia nada divina no País

10 de junho de 2017 • 11:09 am
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Há uma certa indignação no ar das pessoas que esperavam uma justiça séria, correta, ética e honesta no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), no processo de julgamento da chapa Dilma-Temer. Assim era pra ser, nunca foi e nem será. Há que se dizer. Isso não é ceticismo puro e besta. É história.

O Poder Judiciário, em todas as suas cortes e instâncias, é formado por homens. E os homens, na essência, quando o assunto é o poder jogam e atuam de acordo com seus interesses. Principalmente nos escalões mais altos.

A história do “julgo de acordo com o que está nos autos” é pura embromação. É muito semelhante  à declaração de políticos que dizem estar cuidando dos “interesses Republicanos”. Uma ova!

Portanto, o comportamento dos ministros do TSE, assim como o resultado do julgamento já havia ficado claro há bastante tempo. Tanto que o Presidente  Michel Temer chegou a desafiar à própria sociedade, ao dizer que “daqui não saio e daqui ninguém me tira”. Ele sabia quem tinha e o que havia colocado lá.

Aliás, com o hábito que tem de  reunir-se na calada da noite nos porões do Planalto, sabe-se que não foram apenas duas ou três vezes que esteve com Gilmar Mendes pelos subterrâneos do poder central, tramando situações para  manter o poder para ele e os seus. E Mendes nunca escondeu que é um deles.

Mas, sejamos sinceros. Fossem outros os atores dessa comédia, nada divina, a situação no caso das articulações de poder teriam corrido da mesma forma. Agora, especificamente, se fosse para cassar o mandato de Dilma Rousseff o resultado do julgamento teria sido contra ela.

Ora, quando uma parcela considerável da população foi às ruas contra Rousseff, batendo panelas, gritando impropérios, atacando políticos nos aeroportos e restaurantes, etc., o fez sob o comando de lideranças políticas que haviam saído derrotadas do processo eleitoral. E essas lideranças investiram na frustração fresca de um povo que tinha o resultado das eleições  entalado na garganta. Era preciso um terceiro turno.

Só faltava um mote. E alguém no âmbito do Judiciário trouxe para o meio das ruas o tema da corrupção. Foi à mão na luva. Investiu-se na onda odiosa: Fora corruptos! Os incautos achavam que a corrupção era um ponto único, exclusivo de um poder e de um partido. Não é, não foi e nunca será. Os fatos e os famosos “autos” estão aí para demonstrar.

Rousseff então foi defenestrada. Fez-se a festa. Temer no Poder depois do espetáculo do Congresso com os corruptos mais podres dizendo que estavam votando pela cassação em nome da honra, de Deus e de outras pérolas mais, quando na verdade estavam atuando pelos seus próprios interesses, recheados do vil metal. Puro e simples.

Assim, se as instituições são reflexos da sociedade, hoje, não há o que reclamar. Apenas constatar que os podres poderes são conduzidos pelos homens, que usam e abusam da boa fé alheia para a manutenção de seus status quo.

Portanto, Temer, enquanto o novo chefe da quadrilha não caiu e, certamente não cairá mesmo sendo ele um ‘lame duck’.

Ou, como dizem os filhos de Trump, um pato manco que preside, mas não governa.

 

 

 

 


O “terrorismo” dos estudantes e o Ministério Público na foto

7 de junho de 2017 • 9:01 pm
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

É justo e muito justo que a Secretaria de Educação peça uma investigação contra os terceirizados do transporte escolar que incentivaram os alunos do Cepa a se manifestarem nesta quinta-feira, 07, na avenida Fernandes Lima. O protesto de jovens alunos da periferia atrapalhou o trânsito e fechou a avenida nas primeiras horas da manhã.

Ou seja, deixou irados os que acham que tudo deve ser tratado  à base da solapada

A manifestação foi contra a suspensão do serviço de transporte escolar para os alunos da rede estadual de ensino que completaram 14 anos de idade, segundo as informações das lideranças estudantis.

Em resposta, o secretário de Estado da Educação, Luciano Barbosa, disse em entrevista coletiva à imprensa, na tarde desta quarta-feira, 7, que  a manifestação dos alunos foi resultado do “terrorismo” gerado pelos próprios transportadores escolares.

Para justificar o dito, apresentou áudios nos quais transportadores incitam os estudantes a protestarem e transmitirem informações equivocadas sobre a situação dos contratos. Esses áudios foram encaminhados ao Ministério Público do Estado (MPE), que deve agora apurar a autoria. Barbosa qualificou tudo de ato de “terrorismo”.

É uma opinião. Por mais exagerada que seja.

O que não justifica é o promotor público estar presente à entrevista coletiva do secretário. A instituição Ministério Público deveria ser sempre preservada para a devida apuração dos fatos.

Obviamente não se quer dizer com isso que o vice-governador e secretário de educação, Luciano Barbosa, esteja errado em pedir a apuração desses mesmos fatos, apesar do dito “terrorismo”.

E o Ministério Público, em sua altivez, deveria estar atento, também, ao fato  de que estudantes, adolescentes, denunciaram espancamentos por parte das autoridades policiais durante a manifestação que realizaram.

O Secretário de Educação entende isso por que, lá atrás, já foi um grande líder do movimento estudantil.

 

 


Galo em dia infeliz, tropeça nos próprios erros e perde a primeira

3 de junho de 2017 • 8:08 am
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

 O CRB sofre sua primeira derrota na série B do campeonato brasileiro, após tropeçar nos seus próprios erros. O que se pode dizer é que o Galo fez uma partida infeliz.

Galo perde a primeira fora de casa

O time se nostrou altivo em alguns momentos e em muitos outros displicente. Isso gerou a derrota regatiana que não seria nada demais jogando fora de casa, mas pesou pelo pouco que o time produziu.

O galo jogou o que pode no toque de bola,  passando a bola de passo em passo, quando a tinha sob contrrole, mas sem qualquer objetividade.

Com toda certeza, os criticos do jogador Mailson, exímio segurador de bola, sentiram a falta dele neste jogo. Elvis, o meia que o substituiu não fez o que se esperava dele, enquanto meia de criação.

Resultado, o Galo perdeu para o Oeste paulista por 2 a 0, nesta sexta-feira, 02. Sofreu um gol no primeiro tempo, quando não jogou nada, e outro no segundo tempo quando tinha melhor toque de bola, mas sem conclusão em direção ao gol.

 

É só o começo da competição. Nada desesperador, mas serve de alerta para que todos aprendam com os seus erros.


A conveniência da ‘sala de justiça’ com os 7 mortos soterrados

30 de maio de 2017 • 4:31 pm
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Na  tragédia anunciada em Maceió já são 7 os mortos soterrados nos deslizamentos das  barreiras, com o reaparecimento dos corpos de mãe e filha na Grota de Santo Amaro.

A grota de Santo Amaro

A falta de planejamento e de prevenção determinada têm tudo a ver com os tristes acontecimentos nas grotas da cidade. Vidas se foram e as autoridades continuam silentes, como se nada tivesse acontecido.

Igualmente as instituições fiscalizadoras. Jamais vão querer saber quem eram é Lilian Sherliane, 22 anos, e sua filha de sete meses, cujos corpos foram resgatados nesta terça-feira, 30, pelo Corpo de Bombeiros.

Não há por que se incomodar. Elas eram da periferia. Para as autoridades, é como se fossem um José ou uma Maria qualquer, sem eira nem beira, e muito menos com sobrenome de peso, que pudesse impressionar ou mobilizar a sociedade.

Se diferente fosse estaria estampado em todas as manchetes. Mas, são pobres vítimas que não tinham um pau para assustar o gato.

Mãe e filha estavam desaparecidas desde o sábado, quando a barreira da Grota deslizou soterrando o barraco em que viviam na área de risco conhecida dos gestores e autoridades de plantão.

E quem é que vai pagar por isso? Ninguém. Dirão os senhores da sala de justiça “Afinal, foi uma tragédia”. Pontuarão.

É conveniente.