Blogs

Depois de receber o PDT, Renan Filho agora quer o PT dentro do governo

11 de outubro de 2017 • 12:18 pm
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Depois do PDT, agora o governador Renan Filho (PMDB) vai conversar com o Partido dos Trabalhadores (PT), para ampliar o leque de alianças do seu governo.

Durante a solenidade da nova etapa do Programa “Vida Nova nas Grotas”, no Palácio, Renan Filho disse que já conversou algumas vezes com o PT e agora pretende acelerar a discussão para a volta do partido ao governo.

-O PT esteve no governo e resolveu sair por ocasião do impeachment da Presidente Dilma, apesar das minhas ponderações naquela oportunidade. Mas, é importante que o partido venha fazer parte do nosso governo pois colaborou com a nossa eleição. – Disse.

Renan Filho: ampliar traz estabilidade

O governador destacou que o PT, assim como outras legendas, têm segmentos da sociedade que os acompanham, o que permite ampliar os horizontes e estar mais perto da população.

Na prática, disse Renan Filho, significa estabelecer um governo mais poroso, atuante e com  total respeito aos cidadãos.

Para ele, ampliar a aliança em torno do governo representa ainda  a garantia de mais estabilidade para a administração, cujo objetivo, segundo declarou, é fazer um governo focado no desenvolvimento social e no fortalecimento da economia alagoana.


Depois de receber o PDT, Renan Filho agora quer o PT dentro do governo

11 de outubro de 2017 • 11:58 am
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Depois do PDT, agora o governador Renan Filho (PMDB) vai conversar com o Partido dos Trabalhadores (PT), para ampliar o leque de alianças do seu governo.

Durante a solenidade da nova etapa do Programa “Vida Nova nas Grotas”, no Palácio, Renan Filho disse que já conversou algumas vezes com o PT e agora pretende acelerar a discussão para a volta do partido ao governo.

-O PT esteve no governo e resolveu sair por ocasião do impeachment da Presidente Dilma, apesar das minhas ponderações naquela oportunidade. Mas, é importante que o partido venha fazer parte do nosso governo pois colaborou com a nossa eleição. – Disse.

Renan Filho: ampliar traz estabilidade

O governador destacou que o PT, assim como outras legendas, têm segmentos da sociedade que os acompanham, o que permite ampliar os horizontes e estar mais perto da população.

Na prática, disse Renan Filho, significa estabelecer um governo mais poroso, atuante e com  total respeito aos cidadãos.

Para ele, ampliar a aliança em torno do governo representa ainda  a garantia de mais estabilidade para a administração, cujo objetivo, segundo declarou, é fazer um governo focado no desenvolvimento social e no fortalecimento da economia alagoana.


PDT oficializa saída do governo Rui e coloca cargos de aliados à disposição

11 de outubro de 2017 • 9:28 am
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

A direção estadual do PDT emitiu nota oficial nesta quarta-feira, 11, oficializando o desligamento da Prefeitura Municipal de Maceió.

Após fechar acordo com o governado Renan Filho (PMDB) para as eleições de 2018, o dirigente maior do partido no Estado, deputado federal, Ronaldo Lessa, comunicou aos seus seguidores que o partido agora é aliado do governo estadual.

O PDT terá o comando da Secretaria de Turismo e Desenvolvimento no governo estadual.

Na nota divulgada, Lessa agradece a participação no governo municipal e coloca os cargos ocupados pelo seu grupo à disposição do prefeito Rui Palmeira.

É o seguinte o teor da nota do PDT:

Por meses contribuímos para o progresso de Maceió participando da gestão do prefeito Rui Palmeira por intermédio das secretarias do Trabalho e Esportes. Agora, novos horizontes se abrem para o PDT o que nos impele a deixar a administração do município e ingressar no governo Estadual conduzido por Renan Filho. Os cargos ocupados estão à disposição do prefeito, contudo como deputado federal e coordenador da bancada, estarei sempre ao lado de Maceió, ajudando nossa cidade na construção de um futuro melhor para todos. Rui, um grande abraço, plena recuperação, com a certeza de que nossos caminhos seguem sempre em direção à felicidade dos maceioenses e, por conseguinte, de todos os alagoanos.

-Ronaldo Lessa


Se toca, mulher! Invista na prevenção contra o câncer de mama

11 de outubro de 2017 • 1:09 am
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Com o tema: “Atitude exige coragem, pacientes no controle” o Maceió Rosa toma conta das ruas reforçando a importância do exame de mamografia para um diagnoóstico mais rápido em relação ao câncer de mama. O medo faz parte – é normal – mas saber o que fazer para enfrentar a doença, conversar, aproximar instituições de apoio e abrir as portas para o conhecimento dos seus direitos é o foco da campanha que qcontece em todo o país.

O dia a dia com a doença pode afetar o relacionamento social, familiar e profissional. Então, é claro que se faz importante a todos os envolvidos nessa jornada, que sejam capazes de reconhecer a necessidade de apoio mútuo em cada uma das manifestações que afetam a saúde.

A campanha deste ano promoverá ações em locais públicos durante todo o mês de outubro, começando (nesta terça-feira-10), na Praça da Faculdade (Prado) e segundo a assessora de Políticas Públicas da Prefeitura de Maceió, Adriana Toledo, a programação foca na conscientização do cidadão sobre a importância da prevenção.

Exames como os de sífilis, HIV/Aids e glicemia, orientação sobre o tratamento, encaminhamento para exames de mamografia fazem parte do pacote de solidariedade e fraternidade, embalado pelos servidores da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), voluntárias do Grupo Renascer; Rede Feminina de Combate ao Câncer, Casa Rosa e SESC atuando no atendimento e encaminhamentos das pacientes. Quanto mais cedo sejam detectados sinais da doença, maiores as chances de cura, numa proporção superior a 90%.

Dia 17 de outubro o Maceió Rosa estará em atividade na Praça do Bicentenário, no Conjunto José Tenório.

Confirra a Programação completa:

17/10 – Praça do Bicentenário (Conjunto José Tenório).

1. Rede Feminina:

– Distribuição de Folders;

– Mama amiga;

– Distribuição de lacinhos;

– Venda de camisetas e bazar;

– Recebimento de doação de cabelos.

 

2. Renascer

– Grupo Canto;

– Panfletagem;

– Oficina de turbantes;

– Venda de Camisetas.

 

3. Secretaria de Saúde

– Saúde da Mulher – Panfletagem, orientações de DST/AIDS;

– Testagem de HIV e Sífilis.

 

4. Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude

– Aula de Zumba.

 

5. Sesc

– Orientação Nutricional;

– Calculo de IMC;

– Orientação sobre sedentarismo e risco cardíaco com um educador físico;

– Orientações sobre a prevenção de câncer de mama e colo de útero através de jogos e dinâmicas;

 

6. Casa Rosa

– Oficina de Turbantes;

– Encaminhamento para Mamografia e Citologia;

– Venda de produtos para arrecadar fundos para a instituição.


Veredores de Maceió debatem título de cidadão honorário para João Dória

10 de outubro de 2017 • 6:32 pm
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Alguém imaginou um dia que os novos na política, com mandatos, iriam, de fato, fazer a nova política. Ledo engano mesmo.

Os novos – e quase todos – são filhos dos velhos e mantêm os mesmos princípios herdados no meio. Tanto para a conquista dos cargos que ocupam, quanto para o exercício das funções.

Dória: de olho no Planalto

Ou seja, são novos nomes com velhos vícios.

Uma demonstração real disso tudo está na atuação dos parlamentares, seja na Câmara dos Deputados, na Assembleia Legislativa ou nas Câmaras de Vereadores.

A propósito destes últimos, a Câmara Municipal de Maceió debate agora um projeto de lei que concede o título de cidadão honorário da capital alagoana, a João Dória, tucano prefeito de São Paulo.

Em todos os títulos de cidadania concedidos no Legislativo Mirim, a justificativa é sempre a mesma: “os relevantes serviços prestados”.

É portanto a hora de se perguntar aos nobres vereadores da capital, quais os “relevantes” serviços prestados por sua excelência, o prefeito paulistano aos pobres mortais da terra dos marechais, só pra não perder a rima.

É tudo e igual, tal e qual. Valem os interesses.

O projeto é de autoria do vereador Chico Filho (PP). O PP é aquele partido que inseriu na “reforma política” anistia as multas aplicadas pela Justiça aos partidos que infringiram ou fraudaram a lei. No caso específico, o PP deve R$ 1,38 bilhão de multas cobradas pelo Ministério Público Federal, mas, com a reforma aprovada, pode passar 2 mil anos (isso mesmo) para quitar o débito em 24 mil parcelas (!)

Isso é apenas um detalhe do velho e o novo caminhando juntos na busca dos mesmíssimos objetivos.

Quem sabe, se Temer vetar a anistia que os deputados aprovaram, então, Dória não chegue junto para ajudar o PP a pagar o que deve em multas lavradas pela Operação Lava Jato?

Seria esse o “relevante” serviço prestado?

 


Vereador, quem é ‘Dora”?

10 de outubro de 2017 • 6:03 pm
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Como não? Por que os vereadores não podem discutir uma questão importante como a concessão de título de cidadania ao paulista João Dória (PSDB), prefeito de São Paulo?

Afinal, Maceió é uma cidade sem problemas! #SQN

Meus queridos leitores, me falta paciência, sinceramente!

É muito provincianismo (substantivo aqui usado no sentido de atraso social e político!).

A proposta para homenagear o tucano foi apresentada pelo vereador Chico Filho (PP) e deve ser apreciada na sessão ordinária desta quarta-feira, 11.

O argumento do proponente é que, como empresário, Dória pode fazer muito pela capital alagoana, assim como fez (sic) por São Paulo.

Enquanto tento achar motivos pra tal proposta, sou surpreendida:

– Ele é quem, esse ‘Dora’, dona Breine? – dispara Dilma, a faxineira aqui de casa.

Diante disso, sou obrigada a reconhecer: não há justificativa!

Vereador, punossasinhora!

Vá andar na periferia e ouvir as mães cujos filhos estão sem creches, sem escolas.

Vá às unidades de saúde descobrir se há médicos atendendo, se há medicamentos sendo entregues, exames sendo feitos.

Acredite, o João Dória não vale esse debate!


Maceió entre as 10 cidades onde mais se matam mulheres no Brasil

9 de outubro de 2017 • 7:37 am
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

A notícia parece ter se tornado repetitiva nos últimos anos. As estatíticas até parecem ter parado de crescer e começam a apontar para baixo, mas a capital alagoana continua figurando no ranking das cidades onde mais se matam mulheres no Brasil.

 

É isto que mostra um levantamento feito pela Agência Pública – de reportagem e jornalismo investigativo – com base nos registros do Ministério da Saúde, num quadro que considera os números de uma década, entre 2005 e 2015.

 

Mapa da violência contra a Mulher (APública)

A lista é encabeçada pela cidade de Ananindeua, no Pará, com 21.9 registrados em 2015 (último ano da base de dados do levantamento), e em segundo lugar vem cidade baiana de Camaçari, com 13.3. Maceió ocupa a 8ª posição, com índice de 9.9 (é a única cidade alagoana no ranking), vizinha a Vitória (ES), que ocupa a 9ª colocação, com 9.7. São as duas únicas capitais na lista das 10 cidades onde mais mulheres foram mortas pela violência na década analisada.

 

Porém, considerando a média do período – 2005/2015 – no levantamento feito pela reportagem da Agência Pública, Maceió sobe para o 4º lugar, com um índice de 10.44, atrás de Ananindeua (com 13.1), Itabuna (BA), com 12.6, e Betim (MG) com 11.11.

 

De acordo com a reportagem, mais de 47 mil mulheres morreram no Brasil em 10 anos, vítimas de violência.

 

Confira a reportagem completa o endereço: https://apublica.org/violencia-contra-a-mulher-no-brasil/


Na reforma política: partidos vão poder pagar multas em 24 mil parcelas

6 de outubro de 2017 • 11:30 am
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

A sede e a ânsia de poder dos congressistas brasileiros não têm limites. E não só deles. As demais instituições, cada vez mais partidarizadas, também patinam no lamaçal que tomou conta do País
Veja que em meio ao silêncio da sociedade, os nossos parlamentares aprovaram uma reforma política no Congresso, que modifica regras eleitorais para 2018, mas também concede uma espécie de “anistia” das multas aplicadas a partidos políticos ao permitir o parcelamento do débito a perder de vista.
O caso é tão escandaloso que o Partido Progressista (PP), cujos expoentes locais são o senador Benedito de Lira e o deputado federal Arthur Lira, deve R$ 1,38 bilhão de multas cobradas pelo Ministério Público Federal, mas, com a reforma aprovada, pode passar 2 mil anos (isso mesmo) para quitar o débito em 24 mil parcelas (!)
Segundo dados da Agência Estado, o PP foi o primeiro partido a ser alvo das multas administrativas aplicadas no âmbito da Operação Lava Jato. A lei estabelece que os partidos devem pagar as multas em até 60 meses, mas no Congresso o partido defendeu no texto da reforma política o pagamento em 24 mil parcelas…
No caso da dívida de R$ 1,38 bilhões, se condenado, o Partido Progressista pagará uma parcela mensal de R$ 56,5 mil, valor que corresponde aos 2% dos R$ 2,82 milhões que a sigla recebe por mês de Fundo Partidário.
Essa brincadeira de mau gosto representa, além de um deboche, um crime contra o patrimônio público e a boa fé dos brasileiros, que são obrigados a pagar suas dívidas, de qualquer natureza, em prazos estabelecidos pelo mercado financeiro com o aval das instâncias judiciais, sem choro nem vela.
Pense agora que os partidos políticos poderão praticar todos os tipos de ilícitos a partir do texto da reforma por que valerá a pena ser multado e parcelar além da valsa vienense. Ou seja, será multado pelo Ministério Público, em seguida levado a justiça para julgamento. Só que, uma vez condenado lá, pagará sua multa em 24 mil parcelas.
É, sem dúvidas, o suprassumo da locupletação, que beneficia todos os partidos, indistintamente.
Agora o texto da reforma com essas “sutilezas”, para não dizer essa aberração do cinismo, está aguardando a sanção do excelentíssimo senhor Presidente da República, Michel Temer. Ele que estará para ser julgado nos próximos dias pelos congressistas, após ter sido denunciado em mais um caso de corrupção.
O que estamos vendo, na verdade, é o achincalhe dos nossos representantes contra as leis, os cidadãos e a Constituição do País.

A fiscalização e os fiscalizados. De quem é esse prédio?

6 de outubro de 2017 • 9:58 am
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Corroída, estrutura do prédio do TCU pede socorro (Foto: Fátima Almeida)

Em 09 de fevereiro o Eassim.net denunciou o abandono de um prédio público. Antes bonito e vistoso, o prédio do Tribunal de Contas da União (TCU) agoniza, à beira-mar da Praia do Sobral, corroído pela ferrugem provocada pela maresia, colocando em risco a vida de quem passa pelo local.

No dia 06 de julho uma janela cai do alto da fachada do prédio onde funcionava o extinto Produban, acidente que se repetiu no dia seguinte, no mesmo local. Susto para os pedestres que passavam na calçada e um alerta ara o perigo que vem do alto do prédio público abandonado – felizmente ninguém se machucou, mas o risco continua.

Edifício Palmares, no Centro, local onde funcionou durante anos o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), hoje em completo abandono. O prédio se tornou uma zona livre para ambulantes, abrigou famílias de sem-teto e a degeneração provocada pelo estado de abandono avança gradativamente para a total destruição..

Prédio da Secretaria da Educação (Foto: Cortesia / Armando Durval)

Sede antiga da Secretaria Estadual da Educação, na Rua Barão de Alagoas, é mais um prédio que agoniza em pleno centro comercial de Maceió, situação vastamente denunciada pelo Eassim e por outros veículos de comunicação, ao longo dos últimos 5 ou 6 anos. Parte do prédio já desabou, e o muro que restou está prestes a ceder sob o peso do abandono, das infiltrações, dos entulhos, das rachaduras e da falta de manutenção. Mesmo sendo um prédio histórico e outrora imponente, esse destino parece indiferente às autoridades públicas.

Esta semana, uma equipe da Secretaria Municipal de Segurança Comunitária (Semsc), formada por fiscais, técnicos, profissionais de engenharia e o próprio secretário Ivon Berto, iniciou uma operação para vistoriar a situação de prédios públicos e privados no centro da capital.

Os problemas apontados até agora? Toldos em estado deteriorado, fachadas em mau estado de conservação e a ausência de alvará (isso mesmo!) – como se isso resumisse a situação de risco que aponta para a cabeça dos pedestres. Mas tá valendo! Primeiro dia de fiscalização, 12 notificações e um prazo de 8 dias úteis para os proprietários regularizarem as situações ou apresentarem defesa. Caso contrário, o imóvel poderá até ser interditado.

Perguntinha que não quer calar: Os prédios públicos estão no rol dessas notificações ou as punições são apenas para as propriedades privadas? Terão, os gestores públicos, que responder, também, pelo abandono de prédios no centro de Maceió? Se assim for, é bom começar a trabalhar  para atender às exigências (procedentes) da fiscalização. A maioria dos prédios em situação precária pertence ao Poder Público.


Eleições 2018: O bloco na rua e os retalhos para o estandarte

4 de outubro de 2017 • 11:54 am
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Um nome, dois cenários: Na próxima campanha eleitoral, o deputado federal Ronaldo Lessa (PDT) estará no mesmo palanque dos Renans (pai e filho, ambos do PMDB) ou lado a lado com Rui Palmeira (PSDB). Parece difícil? Os caminhos já se abrem para isso. Vivamos para ver; e vejamos para crer.  Lessa já avisou que não será candidato a governador em 2018, e com um pé no Governo outro na Prefeitura, dá todos os sinais de que irá apoiar um desses dois como candidato ao Palácio República dos Palmares. Tem cartas nas mangas, e como pode ser o fiel da balança, vem sendo cortejado de ambos os lados.
Isso ficou evidente num evento recente realizado por Lessa – o lançamento de um livro seu – no Memorial da República, em Jaraguá. Foi prestigiado pelos dois ‘amiguinhos de infância’ – primeiro o governador Renan Filho, depois o prefeito Rui Palmeira, com quem Lessa já tem uma aliança, inclusive traduzida em espaços ocupados pelo PDT na gestão municipal.
Mas Lessa parece não ter pressa. Já sinalizou que prefere esperar a consolidação da reforma política (que ele chama de ‘reparo da lei’), e até já disfarçou, dizendo que uma possível aliança com Renan, nada tem em relação às eleições de 2018. Como se isso fosse politicamente possível, com o ano eleitoral batendo à porta.
Enquanto não decide pra que lado vai pender, Ronaldo Lessa trata de fortalecer o partido. Em reunião da executiva estadual do PDT, nesse final de semana, tratou-se do retorno de Kátia Born ao grupo político de Lessa. Eles já caminharam juntos por muitos anos, numa dobradinha que garantiu três mandatos na Prefeitura de Maceió e dois no Governo do Estado e fez crescer o PSB, que era domínio de Lessa, depois ficou com Kátia (numa fissura que levou Ronaldo para o PDT) e hoje virou reduto do deputado federal JHC, que entrou de mansinho e acabou dominando o espaço, deixando Kátia Born e seu grupo sem teto dentro do Partido Socialista Brasileiro.
Essa reaproximação entre Ronaldo e Kátia torna o grupo mais forte para a hora do ‘Sim’. 
As conjecturas já causam reboliços dentro do PDT, sobretudo entre aqueles que foram acomodados em cargos da Prefeitura.
Sim. Porque, pelo andar da carruagem, é possível que os Renan’s levem vantagem nessa conquista, apesar do esforço de Rui em ter ao seu lado o ex-adversário político da campanha de 2012. O prefeito age silenciosamente, bem ao seu estilo, estudando o movimento das peças do xadrez, para um possível xeque-mate. Lembrando que no tabuleiro tem outras peças importantes – Maurício Quintela, Max Beltrão, João Henrique Caldas, só para citar alguns – e que é interesse de cada um consolidar um grupo, formar sua torre e atacar com a campanha nas ruas.
É o finalzinho de 2017 prometendo um 2018 de muitos conchavos.