22 de dezembro de 2015 • 8:20 pm

Interior

Boiadeiros: uma nova geração no mundo do crime, segundo a polícia

Nem Zé Crispim, Zé Gago, nem os Calheiros formaram mão de obra no mundo crime.

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Floro Novaes, Zé Gago, Zé Crispim, Calheiros, entre outros matadores alagoanos, até dentro da polícia, não deixaram seguidores no mundo da crimininalidade. Esses são tidos como históricos no mundo do crime.

Mas, uma nova geração surge com os “boiadeiros”, segundo a própria polícia.

Assim é com os novos “Boiadeiros” presos nesta terça-feira, 22, em Batalha, acusados de matarem uma enfermeira por motivo fútil. A enfermeira  Mércia Ladislau Gomes, 46 anos, foi morta o domingo, 20, por Davi “Boiadeiro”, 24 anos, e o primo dela Thiago Lucas, 22.

Os dois comfessaram o crime após serem presos. Segundo relato da polícia, Davi, filho de Laércio Boiadeiro, considerado um dos homens mais temidos no mundo crime no sertão alagoano, de acordo com o histórico policial, teria ido a princípio à casa da vítima com um facão e depois retornado com um revólver.

“As testemunhas foram ouvidas  e reconheceram o Davi e o primo como os autores. Em oitiva eles confessaram o assassinato”, segndo declarou o delegado Rômulo Monteiro, da Regional de Batalha. Davi já é acusado de outros homicídios, conforme a polícia. O seu primo materno Thiago Lucas foi o condutor do veículo utilizado para a fuga do criminoso após a barbárie, praticada domingo à noite.

Ainda segundo a provocou reações na cidade e chocou a sociedade batalhense. “Após as prisões, os criminosos foram levados ao Instituto Médico Legal de Arapiraca para o exame de corpo de delito”, disse o delegado.

 

 

Deixe o seu comentário