28 de maio de 2015 • 6:58 pm

Política

Bolsonaro consegue se livrar de mais um processo por crime de racismmo

O deputado foi processado por que no programa CQC, da Band, em fez declarações ofensivas contra a cantora Preta Gil.

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

O deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) considerado homofóbico contumaz no Congresso Nacional conseguiu no Supremo Tribunal Federal (STF) livrar-se de mais um processo. Desta vez ele respondia pela prática de racismo contra a cantora Preta Gil, filha de Gilberto Gil.

O ministro Roberto Barroso, do Supremo, arquivou inquérito que investigava se o deputado  Bolsonaro havia cometido crime de racismo. O processo foi aberto em 2013, após a participação do deputado no programa CQC, da Band, em que fez declarações ofensivas contra a cantora Preta Gil.

Na exibição do programa, Preta Gil questionou o deputado sobre sua reação caso um de seus filhos namorasse negras. Em resposta, Bolsonaro disse que não iria “discutir promiscuidade”: “(Eles) não viveram em ambiente como lamentavelmente é o seu”. Contudo, a Procuradoria-Geral da República recomendou o arquivamento das investigações. A PGR não encontrou indícios suficientes de que o deputado cometeu o crime de racismo e, por isso, desistiu de pedir a abertura de uma ação penal contra ele.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, primeiramente, pediu à Band uma cópia integral da entrevista do parlamentar no programa. Porém a emissora enviou cópia editada, sob o argumento de que descarta as mídias integrais para reutilização das fitas. Na decisão, Janot alega que a falta do material bruto dificultou a identificação de elementos que caracterizassem o crime de racismo.

Deixe o seu comentário