16 de junho de 2016 • 6:20 pm

Brasil » Política

Cai o terceiro ministro de Temer envolvido na Lava Jato

Henrique Eduardo Alves é mais um ministro do governo interino que sai como corrupto

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

O presidente interino Michel Teme teve, nesta quinta-feira (16), sua terceira baixa ministerial desde que assumiu o Palácio do Planalto há pouco mais de um mês. Citado pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado como beneficiário do esquema de corrupção na Petrobras, o peemedebista Henrique Eduardo Alves pediu demissão do Ministério do Turismo nesta tarde. A informação foi confirmada pela assessoria do Planalto, que não forneceu detalhes da decisão. Esta é a segunda vez que ele pede demissão da pasta este ano.

Henrique Alves: flagrado na corrupção

Henrique Alves: flagrado na corrupção

O peemedebista já havia deixado a pasta na gestão da presidente afastada Dilma Rousseff dias antes de o PMDB romper com o governo da petista.

Em sua delação premiada, Machado incluiu Henrique Eduardo entre os mais de 20 políticos que receberam recursos do chamado petrolão. O ex-presidente da Câmara, segundo ele, recebeu R$ 1,55 milhão em propina entre 2008 e 2014. Só o PMDB, partido responsável pela indicação de Machado, ficou com R$ 100 milhões, de acordo com o delator.

Antes de Henrique Eduardo Alves, outros dois ministros de Temer deixaram o cargo por causa de desdobramentos da Operação Lava Jato. O senador Romero Jucá (PMDB-RR) voltou ao Senado, uma semana após ter assumido o Ministério do Planejamento, após a divulgação de áudio com o próprio Sérgio Machado em que defendia a saída de Dilma e um pacto para “estancar a sangria” da Lava Jato.

Uma semana depois foi a vez de Fabiano Silveira pedir demissão do Ministério da Transparência, após ser flagrado em áudios orientando a defesa do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e fazendo críticas às investigações.

Deixe o seu comentário