31 de março de 2017 • 6:57 pm

Justiça

Censura da justiça a jornalistas alagoanos será levada ao CNJ

O caso também será analisado na da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal, o deputado Paulão (PT) realizou, sexta-feira, 31, uma  audiência no Sindicato dos Jornalistas de Alagoas (Sindjornal), às 15 horas, para discutir o processo de censura desencadeado pela justiça alagoana contra jornalistas no exercício profissional.

Deputado Paulão ouve depoimentos de jornalistas no Sindjornal.

De acordo com denúncias do próprio Sindicato o juiz da 3ª Vara Criminal de Maceió censurou os jornalistas Fernando Araújo, Odilon Rios e Davi Soares, além de imputar aos mesmos uma suposta conduta criminosa no exercício profissional. O jornalista Davi Soares esteve presente na reunião. O jorna lista Fernando Araújo foi representado por seu advogado.

A decisão do juiz Carlos Henrique Pita Duarte atende a um pedido do deputado estadual Antonio Albuquerque, que se sentiu ofendido pelos jornalistas por ter seu nome veiculados em postagens dos profissionais, em seus veículos de comunicação. O parlamentar alegou para o juiz que as matérias citando o nome dele eram “inverídicas”.

Na decisão o magistrado determina que os jornalistas se abstenham de publicar qualquer matéria que tenha o nome do deputado, constituindo desta forma uma censura explícita ao direito de informar dos profissionais.

Segundo o deputado Paulão, a censura é descabida e arbitrária, digna dos momentos mais tristes da ditadura. “Por isso a Comissão de Direitos Humanos da Câmara vai inserir estes casos dentro do grupo de trabalho que apura censura e violência contra os jornalistas brasileiros”.

Segundo o deputado, a comissão se encarregará de levar todos os casos de censura da imprensa por parte de juízes brasileiros ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ)

 

Deixe o seu comentário