30 de julho de 2015 • 9:32 am

Esportes

Chip falha e Brasil quase perde a prata no revezamento da maratona aquática

Kazan/RUS – Allan do Carmo, Ana Marcela Cunha e Diogo Villarinho conquistaram uma inédita prata na prova por equipes de 5km na manhã desta quinta-feira, 30/07, em Kazan. A conquista…

Por: Roberto Boroni
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone
ascom cbda

(Foto: Ascom CBDA)

Kazan/RUS – Allan do Carmo, Ana Marcela Cunha e Diogo Villarinho conquistaram uma inédita prata na prova por equipes de 5km na manhã desta quinta-feira, 30/07, em Kazan. A conquista foi apimentada pelos momentos de apreensão pelo tempo brasileiro que não apareceu no placar, embora todos os cronômetros manuais do time tenham registrado o segundo lugar. Confirmado o resultado toda a equipe – e não apenas os medalhistas – explodiu em alegria.

– Nós mudamos completamente a estratégia. Primeiro eu e o Diogo não estávamos. Em Barcelona o Allan puxou o ritmo o tempo todo. Desta vez o Allan puxou na primeira volta toda, o Diogo a metade da segunda  e depois o Allan finalizou. Nós observamos muito o time alemão e aprendemos muito com eles em 2013 – explicou Ana Marcela.

Na prova por equipes os times caem na água um por vez e o que vale é o tempo do último da equipe a completar o percurso de 5km. O trio brasileiro foi o 21º a largar e chegou depois de 55m31s2 empatado com a Holanda (Marcel Schouten, Sharon Van Rouwendaal e Ferry Weeterman).  Os alemães (Christian Reichert, Rob Muffels e Franziska Harle), bicampeões da disputa, chegaram em 55s14.

Em Barcelona 2013, primeira vez que o Brasil entrou na prova por equipes, o time foi composto por Poliana Okimoto, Samuel de Bona e Allan do Carmo. O trio ficou com o bronze, atrás dos alemães Thomaz Lurz, Christian Reichert e Isabele Harle e dos gregos Antinios Fokadidis, spyridon Gianniotis e Kalliopi Araouzou.

– Há poucos dias eu perdi a vaga olímpica, então essa medalha me deu ânimo novo. Estamos muito felizes – disse Diogo Villarinho.

A delegação brasileira de maratonas aquáticas não tinha medalhas como principal objetivo neste Mundial. Todo o planejamento estava voltado para a classificação olímpica, com ou sem pódio. O país está no lucro, pois classificou três atletas e já soma duas medalhas.

– A prova foi boa, estávamos muito motivados e tentando puxar a Ana Marcela, cada vez mais forte e ela acompanhando. Sentíamos que podíamos conseguir mais uma medalha. Esse resultado é fruto de muito esforço. Cada atleta fazendo seu trabalho, toda a estrutura que temos, com nossas equipe multidisciplinares e o acompanhamento, vem gerando grandes resultados. Esse ano o foco era classificar para as Olimpíadas e de quatro possibilidades conseguimos três, o que foi muito bom para o Brasil. Ainda temos os 25 km, com Ana Marcela que já foi campeã da prova e eu o Diogo muito motivados. Acho que vocês podem esperar boas coisas ainda – analisou Allan do Carmo

As maratonas aquáticas no Mundial de Kazan terminam com a prova de 25km, no dia 1/08. Participam da prova mais longa de toda a competição Allan do Carmo e Diogo Villarinho, Ana Marcela Cunha e Betina Lorscheitter.

Os brasileiros participam do 16º Campeonato Mundial FINA de Esportes Aquáticos com recursos dos Correios – Patrocinador Oficial dos Desportos Aquáticos Brasileiros, e ainda do Bradesco/Lei de Incentivo Fiscal, Lei Agnelo/Piva – Governo Federal – Ministério do Esporte, Speedo, Sadia e Universidade Estácio de Sá.

Medalhas do Brasil em Kazan

Maratona Aquática

Prata – Allan do Carmo, Ana Marcela Cunha e Diogo Villarinho

Bronze – Ana Marcela Cunha – 10km

Delegação brasileiraAtletas:Allan do Carmo, Ana Marcela Cunha, Betina Lorscheitter, Carolina Bilich, Diogo Villarinho, Poliana Okimoto, Samuel de Bona e Victor Colonese.

Treinadores: Carlos Rogério Arapiraca, Eduardo Santos, Fernando Possenti e Ricardo Cintra. Médico: José Juan Blanco. Fisioterapeuta: Arivan Gomes. Nutricionista: Marcela Amar. Chefe de equipe: Igor de Souza

Programação de Maratonas Aquáticas 
Dia 01/08 – Sábado
8h (2h) – 25 km – Ana Marcela Cunha, Betina Lorscheitter, Allan do Carmo e Diogo Villarinho.

Fonte: Ascom CBDA

Deixe o seu comentário