30 de abril de 2017 • 7:31 am

Política

Cícero Almeida diz que votou sem odio, sem ranço e sem medo contra reforma

Deputado disse que a reforma trabalhista é um atentado aos trabalhadores e à justiça do trabalho

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Depois de votar contra a reforma trabalhista no plenário da Câmara, o deputado federal Cícero Almeida (PMDB) disse que não poderia trair sua consciência. “Percebi que a reforma vai penalizar o lado mais fraco na relação entre patrões e empregados e, normalmente, o trabalhador será sempre o prejudicado”, disse.

Cícero Almeida: trabalhador sofre perdas irreparáveis

Para ele, o problema no País é que a cada crise na economia a sociedade é concodada para fazer sacrifícios em nome de todos. Ainda segundo Cícero Almeida seria compreensível se a lógica do sacrifício fosse cobar primeiro dos que podem mais, como a diminuição dos lucros vultosos dos bancos e a taxação das grandes fortunas.

“Mas, infelizmente, ao longo da história a classe trabalhadora é quem sempre sofre perdas irreparáveis”, destacou.

Neste caso, acrescentou que não poderia nunca ficar contra o trabalhador brasileiro nessa votação da reforma trabalhista. Principalmente por ela retirou direitos históricos que a classe tinha na Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT).

Segundo o deputado os trabalhadores ficaram praticamente sem proteção nas leis trabalhistas,com o agravante de que a reforma também se transforma em um atentado à justiça do trabalho. “Eu que trabalhei na roça, na feira, fui  taxista e sou radialista sei o quanto é importante a justiça do trabalho para os trabalhadores do nosso País. Por isso votei sem ódio, sem ranco e sem medo contra a reforma”, concluiu.

 

Deixe o seu comentário