25 de julho de 2015 • 11:13 am

Esportes

COB elogia participação brasileira em Toronto

O Comitê Olímpico do Brasil (COB) fez um balanço parcial da participação brasileira nos Jogos Pan-americanos Toronto 2015, nesta sexta-feira, dia 24, em entrevista coletiva realizada no Centro de Imprensa…

Por: Roberto Boroni
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Ascom cob

Nuzman ressalta que Pan é importante na preparação para 2016 (Foto: Ascom COB)

O Comitê Olímpico do Brasil (COB) fez um balanço parcial da participação brasileira nos Jogos Pan-americanos Toronto 2015, nesta sexta-feira, dia 24, em entrevista coletiva realizada no Centro de Imprensa da competição. O presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman, elogiou o desempenho do Time Brasil, que, até o momento, está entre os três países com mais medalhas nos Jogos, e ressaltou a renovação no esporte brasileiro, com a conquista de modalidades que nunca haviam subido ao pódio pan-americano. Ao lado de Nuzman estavam o chefe da Missão Brasileira em Toronto, Bernard Rajzman, o diretor executivo de Esportes do COB, Marcus Vinicius Freire, e o diretor de Comunicação do COB, Augusto Heleno Pereira. O balanço foi antecipado em virtude da viagem, nesta sexta-feira, do presidente Nuzman e de Bernard para a Sessão do Comitê Olímpico Internacional, em Kuala Lumpur, na Malásia.

O presidente do COB enfatizou o processo de renovação do esporte brasileiro. Em Toronto 2015, mais de 70% dos atletas do Time Brasil competem no Pan pela primeira vez. Além disso, 50% da delegação tem entre 15 e 25 anos. “Este é um número extraordinário, que demonstra o legado que os Jogos Olímpicos estão trazendo para a formação de atletas brasileiros. Outro ponto importante é a renovação enorme da delegação brasileira, que teve um aumento de modalidades que conquistaram medalhas. Gostaria de lembrar que antes de um atleta conquistar medalhas nos Jogos Olímpicos, eles passam primeiro pela conquista de medalhas e resultados importantes em Jogos Sul-americanos e Pan-americanos. Ninguém nasce campeão mundial ou olímpico sem que passe por várias etapas em suas carreiras”, comentou Nuzman, revelando ainda que o Time Brasil veio a Toronto com 75 atletas que participaram dos Jogos Escolares da Juventude entre os 304 das 14 modalidades que fazem parte do programa pan-americano e da competição estudantil. Além disso, dos 16 jovens atletas que foram a Londres participar do Programa Vivência Olímpica, oito vieram a Toronto e sete conquistaram medalha.

Para Toronto, o COB estabeleceu três metas principais para o Time Brasil. Uma delas já foi atingida antes do início dos Jogos: classificar mais atletas do que Guadalajara 2011 (em Toronto foram 590 atletas, superando os 515 de Guadalajara). A segunda é ficar entre os três primeiros países, no quadro total de medalhas, posição que o Brasil atualmente se encontra. E por fim, superar o número de pódios de Guadalajara 2011, que foi de 141. O presidente do COB mostrou-se satisfeito com o desempenho dos atletas brasileiros até este momento da competição. “Estamos atualmente no terceiro lugar do quadro geral de classificação e mais de 40% dos nossos 590 atletas conquistaram medalhas. Os resultados alcançados são frutos de uma grande união de esforços, parceira e trabalho em equipe do COB, Confederações Brasileiras Olímpicas e Pan-americanas, o Ministério do Esporte, o Ministério da Defesa, o Ministério da Ciência e Tecnologia e dos nossos patrocinadores”, afirmou Carlos Arthur Nuzman, presidente do COB.

“O desempenho do Time Brasil em Toronto foi mais uma etapa da contínua evolução do esporte olímpico brasileiro. Além de conquistarmos as metas traçadas, graças à parceria entre o COB, Confederações, Ministério do Esporte, Ministério da Defesa, Ministério da Ciência e Tecnologia e patrocinadores conseguimos aumentar o número de modalidades com condições de lutar por medalhas nos Jogos Rio 2016 e no futuro.  As modalidades que pela primeira vez chegaram ao pódio indicam a renovação no esporte brasileiro e demonstram a eficiência desse trabalho. Cada vitória é resultado de trabalho conjunto. Nosso foco principal é o atleta, razão de ser do esporte”, completou Nuzman.

Antes de apresentar os principais destaques em termos de resultado do Brasil no Pan, Nuzman fez questão de homenagear o maior medalhista da história da competição, o nadador Thiago Pereira. “Eu queria deixar um reconhecimento ao Thiago Pereira, que quebrou o recorde individual no número de medalhas, tornando-se o maior vencedor na história dos Jogos Pan-americanos e homenageá-lo pela forma como se apresentou. Muitas modalidades evoluíram, nós tivemos excelentes desempenhos de jovens talentos, equipes femininas e o maior vencedor de medalhas de ouro foi o nadador João de Lucca”, destacou Nuzman.

 

O presidente do COB fez ainda uma distinção entre o Pan e os Jogos Olímpicos. “Esses jogos trazem uma vivência fundamental para os atletas. Nós temos alguns pontos que se tornam importantes pelas lições aqui de Toronto e que nós projetamos, apesar de que não devemos fazer nenhuma comparação entre Jogos Pan-americanos e Olímpicos. Temos aqui 41 países participando, enquanto nos Jogos Olímpicos são 205. É importante frisar que nos Jogos Pan-americanos tem um grupo de quatro a cinco países que disputam as primeiras colocações, diferentemente dos Jogos Olímpicos, onde um grupo bem maior na disputa pelas medalhas”, analisou Nuzman.

Em Toronto, o Time Brasil contou ainda com diversos campeões olímpicos e técnicos brasileiros e estrangeiros com currículos repletos de títulos importantes.

O presidente do COB elogiou ainda a organização da competição na cidade canadense. “Gostaria também de parabenizar Toronto pela organização dos Jogos Pan-americanos. Foi uma evolução muito importante. Os últimos três Jogos, no Rio, em Guadalajara e agora em Toronto dão a demonstração do crescimento e da qualidade dos Jogos, da organização, da repercussão e também das conquistas”, finalizou Nuzman.

Fonte: Ascom COB

Deixe o seu comentário