21 de junho de 2015 • 8:13 am

Maceió

Com medo, empresas retiram ônibus das áreas de risco de Maceió

Motoristas também não querem circular mais nas madrugadas e pedem apoio ao Sindicato dos Rodoviários.

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

As empresas de ônibus começaram a reagir contra a ação dos bandidos que estão incendiando seus veículos, da maneira que já haviam anunciado. Ou seja, retirando os coletivos de circulação, sobretudo nas chamadas áreas de risco.

As empresas estão sendo pressionadas pelos funcionários que estão amedrontados com a onde ataques criminosos que coloca em risco à vida de todos os profissionais e dos passageiros. A São Francisco foi a primeira empresa a retirar os ônibus das chamadas linhas perigosas. A empresa teve três ônibus incendiados.

Áreas como o Gama Lins, Frei Damião e Cidade Sorriso estão sob observação das empresas. A São Francisco já não entrará  ais com seus ônibus no Gama Lins. O fato além de prejudicar os moradores, usuários do transporte coletivo, ainda criará um problema para poder público administrar, considerando a necessidade que esse povo tem do transporte.

Mas, a decisão coloca ainda mais em risco a segurança da população local, que precisa seguir a pé, por um percurso bem maior, para pegar o transporte em outras localidades. “Isso é um absurdo. Pagamos passagem para ficar na metade do caminho. Se fossem queimar os ônibus, os marginais fariam isso aqui”, reclamou uma dona de casa que preferiu não se identificar.

Madrugada – Além disso, os motoristas e cobradores que trabalham durante a madrugada também decidiram não mais circular em horários de maior risco. A categoria aguarda um posicionamento do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado de Alagoas.

Cronologia dos ataques – Cinco ataques a ônibus aconteceram nos últimos dias, em Maceió, com ônibus incendiados em vários pontos da cidade. O primeiro aconteceu no bairro do Jacintinho, no dia 6 de junho.

Na quinta-feira (18), um ônibus foi incendiado, à tarde, no bairro do Mutange e outro foi depredado na Ponta Grossa, periferia de Maceió. No mesmo dia à noite, um outro coletivo foi queimado no bairro do Benedito Bentes.

A polícia chegou a prender várias pessoas e apresentar os supostos responsáveis pelas ações criminosas, entre eles alguns presidiários que estariam comandando as ações de dentro da cadeia.

Mas ainda assim, outro ataque foi registrado na noite de sexta (19), no Sítio São Jorge, com mais um ônibus indendiado e totalmente destruído.

1 Comentário

  1. Neto disse:

    A situação é muito preocupante, o secretário fala muito, mas resultados nada. Agora, porque os motoristas estão com medo se sempre os onibus são desocupados antes dos incendios ?

Deixe o seu comentário