19 de setembro de 2016 • 8:29 am

Saúde

Começa hoje campanha de multivacinação de crianças e adolescentes

Ministério da Saúde enviou para Alagoas 385.855 mil doses das vacinas.

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Tem inicio nesta segunda-feira, 19, a  Campanha de Multivacinação para  atualizar o calendário vacinal de crianças menores de 5 anos e adolescentes de até 15 anos de idade.

A campanha, que prossegue até o próximo dia 30, irá ocorrer em parceria com as 102 Secretarias Municipais de Saúde alagoanas.

Campanha em todos os postos de saúde.

Campanha em todos os postos de saúde.

Segundo o Ministério da Saúde (MS), Alagoas recebeu 385.855 mil doses das vacinas para atender ao público-alvo da campanha. Deverão se vacinar, segundo o Programa Nacional de Imunização (PNI), crianças menores de 5 anos que tomarão as seguintes vacinas: BCG, Hepatite B, Pentavalente, Poliomielite, Rotavírus, Pneumocócica 10, Meningocócica C, Febre Amarela, Tríplice Viral, Hepatite A, DTP infantil e Tetra viral.

Já os adolescentes menores de 15 anos serão imunizados contra Hepatite B, Tríplice Viral, Dupla Adulto e HPV. Esta última específica para as meninas com idade entre 9 e 13 anos.

Claudeane Nascimento, assessora do Programa Nacional de Imunização (PNI) em Alagoas, alerta aos pais e responsáveis para que atualizem a carteira de vacinação de seus filhos. Isso porque, dessa forma, haverá diminuição dos riscos de transmissão dessas doenças imunopreveníveis.

“Todas as vacinas já foram enviadas para os municípios e serão disponibilizados 14 tipos de vacinas durante a campanha para crianças menores de 5 anos, crianças de 9 anos e para os adolescentes menores de 15 anos. O destaque maior é para estimular a vacinação de meninas entre 9 e 13 anos contra o HPV, por ainda ter uma baixa cobertura vacinal”, salientou a assessora.

“Para participar da ação, os pais ou responsáveis devem portar o cartão de vacinação ou algum documento que comprove a situação vacinal do filho”, completa Claudeane Nascimento. Esse documento, segundo ela, “será analisado pela equipe de saúde de cada município”, salientou.

Deixe o seu comentário


Publicidade