8 de julho de 2017 • 1:21 pm

Blogs » Pequeno Polegar

Considerado, os pitus do Batoré e o caminhão de coco do Yaldo

A ação do fiscal de renda na contagem de uma carga de 5 mil cocos

Por: Pequeno Polegar
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Considerado, todo enxerido, foi tomar umas cervejas com pitu de Porto Real do Colégio na casa do amigo Yaldo Leite, fiscal de renda aposentado que, na adolescência, andou dando uns amassos em Nildinha, avó dele, lá para as bandas de Viçosa. Não propesrou, mas ficaram amigos.

Tanto, que Considerado, vez por outra, encontra o fiscal seja em um boteco ou até mesmo na varanda do” quase ex-avô”, lá no Bananal, reduto tradicional da família Passos e Leite.

Neste sábado, reuniram-se para o aniversário do Batoré que é da mesma turma. Encontraram-se no apartamento do Yaldo, no Pinheiro, e iniciaram os trabalhos com o pitu cozido na água e sal.

Hora de ir à festa no Bar do Lula Manguito, nosso amigo fiscal cismou que tinha de levar um presente e considerou que poderia ser uma porção do pitu recém chegado das águas renevodas – pelas chuvas  – do velho Chico.

Considerado foi contra. Queria devorar tudo alí mesmo.

-Não senhor, o Batoré merece minha consideração – Reagiu Yaldo

-Que nada vovô, o babá vai pegar esses pitus e vai dar a um promotor cunhado dele.

-Não senhor, vou levar pra gente comer lá…

Enquanto o dono da casa se levantou para se arrumar e sair, Considerado pegou um saco plástico colocou os pitus dentro e escondeu. Logo então foi questionado pelo sumiço do pacote de crustáceos. A encrenca voltou de novo.

-Devolva que vou levar pra ele.

-Um pacotinho de nada desses Yaldo não vale a pena.

-Pacotinho não, aí tem mais de 100 unidades.

-Então conte pra vê se tem?

-Cuidado. O útimo  que fez isso comigo eu mandei pra puta que pariu até hoje!

-E quem foi?

Ele resolveu contar uma história de seu início de vida como fiscal de renda no posto de Delmiro Gouveia. Era Semana Santa e apareceu um caminhão baú carregado de coco. Parou o carro, pediu a documentação da carga e a nota dizia que havia 5 mil unidades. Apressou o despacho por causa da chuva intensa e já ia liberar o caminhão, quando o chefe apareceu.

-E aí tá tudo bem?

-Sim. Esse aqui está tranquilo. Já vou liberar.

-Como assim tranquilo, conferiu a carga?

-Sim é uma carga de 5 mil cocos

-Você contou?

-Como é a história, chefe?

-Vá lá contar pra saber se tem 5 mil cocos mesmo.

-A nota está dizendo isso.

-Mas tem de contar um por um…

-Vá contar você, seu pai e a puta que lhe pariu!

 

Deixe o seu comentário