11 de agosto de 2015 • 8:15 am

Economia

Creci discute especulação imobiliária em torno do canal do sertão

Terras pularam de R$ 200,00 para R$ 5.000,00 a tarefa.

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone
Terras ao redor do canal: altos preços.

Terras ao redor do canal: altos preços.

O Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci) vai orientar a venda de imóveis no entorno do canal do sertão. A decisão foi tomada durante reunião entre na Secretaria Estadual de Agricultura, com a participação da diretoria do conselho.

Os diretores do Creci conheceram detalhes da obra e debateram com o secretário Álvaro Vasconcelos estratégias para evitar que os proprietários de terras na região cometam excessos na hora de negociar a venda para futuros investidores ou para o próprio Governo do Estado, caso haja a necessidade de desapropriações.

Segundo o secretário, já foi verificado o sobrepreço em algumas áreas. “O preço da tarefa de terra em algumas regiões passou de R$ 200 para R$ 2.000 ou até R$ 5.000. Nossos técnicos são capacitados para identificar as potencialidades produtivas de cada área, mas não para mediar as negociações entre vendedores e compradores. Em parceria com o Creci, poderemos dar esse suporte e toda a transparência e credibilidade aos negócios no canal”. Disse o secretário.

Já o  presidente do conselho, Vilmar Pinto, disse que a participação dos corretores no processo de negociação de terras do Canal do Sertão deverá dinamizar a prospecção de investidores e acelerar os acordos de compra e venda de terras. “Nossa categoria tem uma capacidade de convencimento muito grande. Estou certo de que poderemos ajudar bastante o Governo do Estado a encontrar empresários interessados em investir no Canal do Sertão, garantindo que tanto os vendedores quanto os compradores de terra saiam satisfeitos”, afirmou.

Quando concluído, o Canal do Sertão terá 250 quilômetros de extensão entre a Barragem de Moxotó, em Delmiro Gouveia, e o município de Arapiraca, no Agreste alagoano. Atualmente, 65 quilômetros do Canal estão em funcionamento e as obras até o quilômetro 105 devem ser concluídas no mês de setembro.

 

Deixe o seu comentário