2 de Fevereiro de 2018 • 7:43 am

Policia

Criança de dois anos é agredida por professora em creche de Maceió

Paulo Soares Teixeira acusou a professora, da Creche Vovó Eulália, localizada no bairro Ponta Verde, em Maceió, de deixar seu filho com hematomas

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Paulo Soares Teixeira acusou uma professora da Creche Vovó Eulália, localizada no bairro Ponta Verde, em Maceió, de agredir seu filho de dois anos. Ele foi até a delegacia após perceber hematomas no corpo do filho.

Imagens compartilhadas por Paulo Soares, pai da criança agredida.

O fato aconteceu no dia 23 de janeiro, mas só veio à público nesta quinta-feira (1°). Em imagens da câmera de segurança, é possível ver uma das professoras, de forma agressiva, fazer a criança sentar-se com força contra uma parede.

“Na última terça-feira, ao chegar da creche, notamos que nosso filho estava cabisbaixo. Quando minha esposa foi dar banho nele, notou alguns hematomas nos dois braços”, disse ele em mensagem compartilhada no Facebook.

“Solicitamos as imagens na Creche, conversamos com a então professora dele e a mesma afirmou que desconhecia o caso, se despediu e ficamos na sala de monitoramento com a diretora da creche, e aí veio o que a gente menos esperava, uma cena terrível que pai nenhum merece ver”, disse ele ao assistir a agressão. “Só de lembrar, os olhos enchem de lágrimas”.

Ele encerrou a postagem afirmando que trocaram o filho de escola e as medidas judiciais já estão sendo tomadas. Portanto, a professora irá responder na justiça.

2 Comentários

  1. Joana disse:

    Após o vídeo que circulou em diversas redes sociais onde uma criança de dois anos aparece sendo maltratada por uma professora da Escola Vovó Elália, a instituição de ensino enviou nota à imprensa na tarde desta sexta-feira, dia 02, alegando que o pai do menor, Paulo Soares Teixeira, depois do fato, teria se reunido com a escola para relatar o acontecido e pediu “que se o caso fosse guardado de forma tumular a escola teria que arcar com o pagamento de uma “indenização” no importe de R$30 mil” do contrário ele o tornaria público.

  2. Patricia disse:

    É um absurdo! Nós pais que trabalhamos e que pagamos para nossos filhos ficarem em segurança e assistir a imagens de agressão e violência na creche ou escola é muito triste. Tem muitas outras creches em Maceió, funcionando de forma incorreta, sem documentação, sem as licenças. Gostaria de saber qual é o órgão fiscalizador, qual o telefone de contato para denúncia, ou é só a polícia que resolve nesses e em outro casos de abuso? Também sou mãe, e estou me sentindo muito mal com essa denúncia, isso é muito grave e não pode ficar esquecido. Cadeia para a agressora e multa para a empresa que não monitora seus funcionários. Quem trabalha com crianças não pode relaxar jamais, muito menos com os filhos dos outros!!!!!

Deixe o seu comentário