21 de fevereiro de 2017 • 1:46 pm

Brasil

Crise política leva Brasil a perder 8 posições no ranking de liberdade econômica

De zero a 100, Brasil está com 52,9 pontos.

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

O Brasil perdeu 8 posições no ranking de liberdade econômica, elaborado pela Fundação Heritage. Dos 180 países listados, o Brasil está em 140º lugar, com 52,9 pontos. A escala varia de 0 a 100.

Leia a íntegra dos dados sobre o Brasil (em inglês).

Neste quadro, o Brasil aparece em 114º, mas caiu pra a posição 140º.

Como principais motivos para queda de posição no ranking, a instituição aponta a crise política aliada às quedas de commodities.

“A interferência do Estado na economia tem sido pesada. A eficiência e a qualidade geral dos serviços governamentais continuam pobres, apesar dos altos gastos governamentais. A implementação de qualquer programa de reforma se mostrou difícil”, destacou o levantamento.

O Brasil ficou logo atrás de Burundi, nação da região centro-africana. Dentre os Brics –conjunto de países de economias emergentes– o Brasil fica à frente apenas da Índia (143º).

África do Sul (81º), China (111º) e Rússia (114º) ficaram à frente do Brasil.

OS MELHORES -Na liderança do levantamento está Hong Kong. A região administrativa especial da China alcançou 89,8 pontos. Em 2º lugar, Cingapura (88,6 pontos). A Nova Zelândia subiu 2,1 pontos e manteve o 3º lugar. Suíça e Austrália completam o o grupo dos 5 países com maior liberdade econômica mundial.

O Chile é o país latino-americano na melhor colocação. Apesar de ter perdido pontos em 2016, está em 10º, à frente do Reino Unido (12º), Holanda (15º) e Estados Unidos (17º).

OS PIORES – Cuba (178º), Venezuela (179º) e Coreia do Norte (180º) têm os piores números sobre liberdade econômica, conforme a Heritage. Após reaproximação com os Estados Unidos, os cubanos subiram 4,1 pontos (33,9 pontos no total) e ultrapassaram a Venezuela.

Com forte avanço da inflação, os sul-americanos perderam 6,7 pontos em liberdade econômica. O país governado por Nicolás Maduro ficou à frente apenas do regime comunista dos norte-coreanos.

Deixe o seu comentário