15 de dezembro de 2015 • 1:37 pm

Política

Cunha negocia renúncia após conselho admitir processo de cassação

O conselho de ética admitiu o processo de cassação por 11 votos a 9

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone
Plenário da Câmara.

Plenário da Câmara.

Em função dos acordos feitos com a oposição, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), hoje presssionado pela Polícia Federal, poderá renunciar ao mandato a qualquer momento, segundo informações que correm nos bastidores do Congresso.

O próprio deputado Chico Alencar (Psol-RJ) afirmou, no início da tarde desta terça-feira, 15, que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), já está articulando sua renúncia ao comando da Casa para não perder o mandato.

O líder do Psol disse que recebeu informações vindas diretamente do gabinete do parlamentar do PMDB.

A declaração foi feita durante a reunião do Conselho de Ética, que que aceitou por 11 votos a 9  o parecer que pede a admissibilidade do processo de cassação de Cunha por quebra de decoro parlamentar.

O peemedebista é acusado de prestar falso depoimento na CPI da Petrobras, quando negou em março a existência de contas no exterior.

Segundo Alencar, a estratégia de renúncia é uma forma de anular quaisquer decisões que venham a ser tomadas no Conselho de Ética, que já teve sua reunião adiada oito vezes em decorrência de interferências de Cunha e de seus aliados.

Deixe o seu comentário