26 de Janeiro de 2016 • 10:43 pm

Blogs » Fátima Almeida » Política

De novo!! Até quando o julgamento de Dudu Hollanda será adiado?

Processo recebeu os primeiros votos a mais de um ano, mas o deputado permanece impune e aparentemente blindado

Por: Fátima Almeida
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone
Dudu Hollanda: mais uma vez impune.

Dudu Hollanda: mais uma vez impune.

“Está ficando feia essa história do julgamento da ação penal contra o deputado Dudu Hollanda (PSD), no Pleno do Tribunal de Justiça de Alagoas”. O comentário vindo de um colega jornalista é mesmo o reflexo de uma situação que já está se tornando incômoda de tão vergonhosa.

Acusado de lesão corporal grave por ter arrancado, no dente, um pedaço da orelha do ex-colega de Câmara, Paulo Corintho, em 2009, Dudu tem conseguido se safar impunemente de ser julgado e condenado. Pelo menos por enquanto.

O julgamento iniciado em outubro de 2014 vem se arrastando ao longo desses 15 meses, entre inúmeras idas e vindas, em que ser retirado da pauta tem sido mais fácil do que entrar. Primeiro o parlamentar foi blindado por um decreto aprovado pela Assembleia Legislativa. O TJ derrubou o decreto. Mas a impressão que se tem é que outra forma de blindagem está em plena vigência, travestida de incontáveis pedidos de vista que têm retirado a matéria da pauta de julgamento do TJ.

O processo já recebeu pelo menos 6 votos, todos pela condenação do réu. Alguns, indicando penas mais severas – três anos e meio de detenção em regime aberto; outros, com penas mais brandas, como a redução do tempo para 1 ano e meio, aliada à proposta de prestação de serviços comunitários.

Mas, pelo visto, o veredicto ainda vai demorar.  Mais uma vez a ação penal entrou em pauta, nesta terça-feira (26). E outra vez foi retirada, agora sob alegação da ausência de um desembargador que havia pedido vistas, embora ele já tivesse votado e devolvido o processo.

E assim, nesse vai e vem desmedido, o deputado segue imune e impune.

Até quando? Sabe-se lá…

 

Deixe o seu comentário