4 de julho de 2017 • 7:49 pm

Brasil

De volta, Aécio posa de inocente: ‘fui vítima de uma armadilha de umcriminoso’

Senador diz que foi tomado por sentimentos de injustiça e tristeza

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) afirmou na tarde de 3ª feira, 04, em sua volta ao Senado, que foi tomado pelos “sentimentos de injustiça e tristeza” nas semanas em que esteve afastado da Casa.

O tucano foi autorizado a retomar o mandato pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Marco Aurélio Mello, na última 6ª feira, 30 de junho.

Aecio de volta ao Senado

Fui vítima de uma armadilha executada por 1 criminoso confesso [Joesley Batista] de mais de 200 crimes cujas penas somadas ultrapassariam mais de 2 mil anos de cadeia“, disse Aécio.

O senador falou por 21min02s. O discurso foi acompanhado pelo ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, e por deputados da bancada tucana.

Aécio afirmou que trata-se de 1 assunto de esfera privada o diálogo gravado com Joesley Batista, da JBS. Alegou que era uma tentativa de vender 1 apartamento, que já havia sido negociada com outros empresários.

Não cometi crime algum, não aceitei recursos de origem ilícita, não prometi vantagens indevidas a quem quer que fosse, nem tampouco atuei para obstruir a justiça“, afirmou o tucano.

O senador também se desculpou por ter feito “uso de 1 vocabulário que não lhe é comum”, registrado em gravações. Disse que errou ao se deixar enganar e ao “envolver familiares”.

“Eu errei e assumo esse erro. Em 1º lugar por me deixar envolver nessa trama ardilosa e, principalmente, por permitir que meus familiares servissem de massa de manobra.”

No discurso, o senador pediu para que seus colegas não fizessem “apartes” –momentos em que outros senadores pedem a palavra para tratarem do discurso.

Gravado – O tucano foi gravado pedindo R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista, da JBS, em 24 de março no Hotel Unique, em São Paulo. O dinheiro seria usado para pagar a defesa do congressista na Lava Jato.

Aécio afirma que o pedido foi de empréstimo pessoal. A irmã do tucano, Andrea Neves, está em prisão domiciliar. Ela é acusada de pedir e operar propina da JBS para Aécio.

Deixe o seu comentário