23 de agosto de 2016 • 10:19 pm

Justiça

Defensoria no cárcere: programa deve atender 250 presos

Na primeira edição do projeto, realizado em 2015, mais de dois mil custodiados foram atendidos em 52 dias de trabalho, totalizando a expedição de mais de 700 alvarás de soltura

Por: Fátima Almeida
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Foto: Assessoria

Foto: Assessoria

Iniciado nesta terça-feira, a segunda etapa do programa Defensoria no Cárcere, realizado pela Defensoria Pública Estadual, em parceria com a Secretaria de Ressocialização e Inclusão Social (Seris), deve beneficiar cerca de 250 reeducandos da Casa de Custódia da Capital (Cadeião), com atendimento jurídico.

Na primeira edição do projeto, realizado em 2015, mais de dois mil custodiados foram atendidos em 52 dias de trabalho, totalizando a expedição de mais de 700 alvarás de soltura. Já nesta segunda etapa – que terá duração de dois dias  – o objetivo é atender aos custodiados que não têm advogado.

A defensora pública e coordenadora do programa, Andréa Carla Tonin, destaca os benefícios da ação. “O objetivo da implementação desse programa é ter conhecimento da situação de todos os presos dentro do sistema. Iniciamos ano passado e devido à experiência exitosa, estamos dando continuidade. Além do atendimento criminal, realizaremos atendimento civil com o auxílio da equipe e assistência social do sistema prisional. Com isso, demonstramos que o apenado está recebendo assistência judiciária”, contou a defensora.

O balcão cidadão está realizando o levantamento das demandas sociais e civis e repassando a Defensoria. Além disso, com essas informações, poderá atuar na unidade, suprindo sua necessidade.

Deixe o seu comentário


Publicidade