7 de agosto de 2016 • 7:58 pm

Brasil » Política

Delação da Odebrechet: Serra recebeu propina de R$ 23 milhões

Odebrecht diz que irá apresentar extratos bancários que mostram os depósitos para José Serra

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Depois de Michel Temer que recebeu propina de R$ 10 milhões em dinheiro vivo, segundo delação de executivos da Odebrechet, agora é a vez do ministro José Serra (PSDB-SP) ser delatado pelos mesmos De acordo com os executivos da empreiteira. A denúncia é de ue Serra recebeu propina de R$ 23 milhões, segundo revelou Folha de S. Paulo.

a campanha do hoje ministro das Relações Exteriores, José Serra, para a Presidência da República em 2010, recebeu cerca de R$23 milhões  da empreiteira. Corrigido pela atual inflação, o valor é equivalente a R$ 34,5 milhões.

Senador Serra: pela fatia tucana

Serra: propina de R$ 23 milhões

Os procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato e da Procuradoria Geral da República (PGR) obtiveram esta revelação na última semana, através de funcionários da empresa que tentam homologar um acordo de delação premiada. as informações são da Folha de S. Paulo.

Durante o encontro, que aconteceu na sede da Polícia Federal em Curitiba, os executivos informaram que parte do valor foi entregue no Brasil, e parte foi paga através de depósitos em contas bancárias no exterior. As conversas fazem parte de uma série de entrevistas em que os possíveis delatores da Operação Lava Jato corroboram informações que são apresentadas pelos advogados durante negociação de delação premiada. No entanto, o acordo ainda não foi assinado.

Afim de comprovar que houve o pagamento via caixa dois, a Odebrecht diz que irá apresentar extratos bancários que mostram os depósitos realizados fora do país, que tinham como destino final a campanha do então candidato à Presidência da República, José Serra.

Essa é a primeira vez que o nome do tucano é envolvido nas investigações de esquemas de corrupção na Petrobras.

Segundo a Folha de S. Paulo, os funcionários da empreiteira também relatarão propina paga aos intermediadores de José Serra no período em que ele foi governador de São Paulo, entre os anos de 2007 e 2010. Os desvios teriam sido feitos durante à construção do trecho sul do Rodoanel Mário Covas.

O trecho em questão, teve suas obras iniciadas durante o primeiro ano da gestão de Serra, e foi orçado em R$3,6 bilhões, na época.

Deixe o seu comentário