15 de abril de 2017 • 9:06 am

Brasil

Delator diz que Odebrecht pagou R$ 1,25 milhão para campanha de Marina

Marina confirma reunião com a Odebrecht, mas nega ter recebido propina

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Nem Marina Silva escapou das propinas pagas pela Odebrecht aos políticos brasileiros, segundo denunciou o jornal Folha de S. Paulo.

A informação é de que o ex-diretor de relações institucionais da Odebrecht Alexandrino Alencar disse que a empreiteira repassou R$ 1,25 milhão à Marina Silva em 2014, quando ela disputou a Presidência da República pelo PSB em 2014.

Marina: na lista da Odebrecht

O repasse teria acontecido pouco após ela e o ex-presidente da construtora Marcelo Odebrecht terem se reunido em um hotel em São Paulo. “A partir daí, houve uma conversa de Marcelo com ela, onde foram colocados posicionamento e valores -valores culturais, não monetários-, e estratégias”, contou o delator à Justiça.

Segundo Alencar, apesar do repasse não houve nenhum pedido de contrapartida por parte da empreiteira “Não teve compromisso. Nem Marcelo, nem eu [falamos disso]. Foi muito mais uma conversa de aproximação”, repassou.

Alencar, que era responsável pelo departamento de operações estruturadas, que ficou conhecido como o departamento de propinas da empresa, diz que teve “atuação bem específica nas doações para as candidaturas da Presidência da República das duas candidatas”, Marina Silva e Dilma Rousseff (PT), tendo repassado R$ 7 milhões em doações legais à candidata petista.

A diferença dos valores repassados às duas candidatas foi explicado por Alencar pela morte do então candidato do PSB Eduardo Campos, que tinha marina como sua vice. “O candidato era o [Eduardo] Campos, e teve esse fato [o acidente aéreo]. Com Dilma, as conversas já vinham acontecendo. Tinha um relacionamento, digamos, mais antigo”, destacou.

Através de sua assessoria de imprensa, Marina Silva afirmou que sua campanha foi procurada pela Odebrecht e confirmou a reunião com a cúpula da empreiteira, mas que somente conversaram sobre as “principais propostas para o desenvolvimento sustentável do país”.

Deixe o seu comentário