16 de novembro de 2015 • 7:37 am

Maceió

Denúncia de vazamento de gás torna lixão uma bomba relógio

Descaso da gestão municipal com a remediação do chorume e do gás metano pode ter transformado o antigo lixão em sério problema.

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

O lixão de Maceió, em Cruz das Almas, foi lacrado na gestão do prefeito Cícero Almeida (PSD), que implantou no município o Aterro Sanitário, como uma obra de engenharia com tecnologia de ponta. O lixão saiu da cena maceioense 40 anos depois.

Área do lixão sob suspeita.

Área do lixão sob suspeita.

Mas, ficou a responsabilidade contratual de remediação da área do lixão. Não apenas a cobertura com argila e e areia do resto de material que ficou na área, mas a realização pela Prefeitura de Maceió de procedimentos técnicos, para não tornar o local em mais um problema grave.

No últimos dias tem surgido uma discussão na midia sobre o que foi feito por lá. A situação, segundo denúncias é de que o descaso levou a área do lixão a se tornar em uma bomba de gás metano. Isso por que não houve a continuidade do processo de remediação com o tratamento do chorume e a devida extração do gás acumulado na montanha de lixo aterrada.

Em função desse descaso, a Câmara Municipal criou uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) para entender o que de fato foi feito na área. Se é verdade que a Prefeitura atual se descuidou e não tratou correetamente a área do lixão, Maceió passa ter um problema de alta gravidade.

Na semana que passou o semanário Extradenunciou que “agora foi  confirmado por um laudo de engenheiros e arquitetos do Tribunal de Justiça de Alagoas: o vazamento de gás no entorno do antigo lixão de Cruz das Almas é um fato concreto. O laudo, que foi apresentado no final de outubro, é referente a oito terrenos oferecidos ao TJ para construção do Complexo Judiciário que vai abrigar o novo Fórum de Maceió; todos foram considerados em desacordo com os critérios estabelecidos pelo próprio tribunal”.

Sendo o vazamento de gás metano do lixão um fato concreto toda comunidade do entorno vive em permanente situação de risco. A gestão municipal passa ser responsável pela situação em foco e o Tribunal de Justiça, Ministério Público, enfim, têm o dever questionar a Prefeitura e seus gestores sobre a gravidade do caso, antes que qualquer sinistro venha atentar com a vida das pessoas.

Defesa – Mas, o consultor ambiental, Alder Flores, que tem acompanhado o processo do lixão, desde que ele foi desativado, disse que não acredita na possibilidade de vazamento de gás, Segundo afirmou o trabalho que a empresa contratada tem feito para remediar o lixão tem sido correto, muito embora a sociedade desconheça o que tem sido feito lá. O consultor avaliza e diz que tudo está muito bem na área lacrada.

 

Deixe o seu comentário