16 de dezembro de 2015 • 8:24 am

Saúde

Depois de passar por nova reforma, maternidade Santa Mônica reabre dia 28

Ministro da Saúde é esperado em Maceió para inaugurar a reforma na próxima sexta-feira

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Maternidade: mais uma reforma.

Maternidade: mais uma reforma.

Depois de passar por mais uma reforma em suas instalações da Maternidade Escola Santa Mônica viverá um dia de festa na próxima sexta-feira, para comemorar os novos equipamentos. A maternidade fez uma readequação de sua estrutura e ampliou as unidades de UTI e UCI neonatal.

A festa de inauguração, segundo a assessoria do governo, deverá contar com a participação do Ministro da Saúde, Marcelo Costa e Castro.

A reforma também contemplou toda a área de ambiência, pré-parto, parto e pós-parto; Serviço de Nutrição e Dietética, centro cirúrgico.

– “Agora teremos a estrutura que nossas gestantes e bebês de alto risco merecem, bem como, melhores condições de trabalho para nossos servidores. Trata-se de um momento ímpar para todos que fazem a maternidade.  – Disse Rita Lessa, diretora da Santa Mônica.

Reabertura – O início do atendimento na maternidade será no dia 28 de dezembro, quando toda equipe estará de volta. Rita Lessa explica que esses dias entre a inauguração e a reabertura são necessários para a transferências de gestantes, mães e bebês internos nos setores em funcionamento em outras unidades hospitalares, e visitas técnicas de órgãos fiscalizadores, como Vigilância Sanitária e os Conselhos de Classe de várias categorias profissionais.

“É importante que todo processo seja feito com cautela. Nunca paramos nossos serviços, pelo contrário, funcionamos em outros hospitais. Seguiremos o cronograma de transferência para garantir esses serviços à população alagoana”, ressaltou Rita Lessa.

Após a reabertura, o atendimento da maternidade continuará sendo regulado através do Complexo Regulador Assistencial (CORA).

A medida foi acordada entre os serviços de saúde do Estado para evitar a superlotação. As pacientes continuarão sendo atendidas pelas maternidades de risco habitual. Após a classificação de alto risco, as mesmas serão encaminhadas para a Santa Mônica ou Hospital Universitário, de acordo com a disponibilidade de leitos e mapa de vinculação de gestantes.

Deixe o seu comentário