15 de Abril de 2016 • 8:41 am

Maceió

Deputado acusa prefeito de negligenciar combate a epidemias

João Luiz diz que prefeito faz propaganda enganosa e Francisco Tenório denuncia crime de responsabilidade

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Do pleno da Assembleia Legislativa, o deputado Pastor João Luiz acusou o prefeito de Maceió, Rui Palmeira (PSDB) de estar negligenciando o combate as epidemias de dengue, zika e chikungunya,

Segundo ele, as entidades sindicais lutaram e conseguiram efetivar centenas de agentes de saúde no município, os quais, atualmente não cumprem o papel institucional por que foram desviados de suas funções, enquanto nas ruas a proliferação do mosquito aedes agypti segue contaminando a população.

João Luiz e Francisco Tenório acusam descaso.

João Luiz e Francisco Tenório acusam descaso.

Disse o parlamentar que recebeu os dados do Sindicato dos Agentes de Endemias. O documento a que teve acesso reve que Maceió possui oitocentos agentes efetivados pelo município, que recebem seus salários como servidores efetivos que são.

“No entanto, estamos vivendo uma época de propagandas enganosas. São oitocentos agentes ao todo. Quatrocentos deles estão em campo, mas destes, duzentos e cinquenta estão parados por falta de material de trabalho, como bota, coletes, entre outros. Então só temos cento e cinquenta atuando, numa cidade do tamanho de Maceió.Os outros quatrocentos e dez agentes, segundo recebei informação do sindicato, estão em desvio de função, trabalhando em outros cargos, à disposição de vários gabinetes. Quero chamar aqui atenção para este descaso”, protestou o deputado.

A manifestação do deputado João Luiz foi apoiada por outros parlamentares, como deputado  Francisco Tenório. Ele observou que se País inteiro se engajou no combate a essas doenças provocadas pelo nosquito, “doenças que causam morte e condenam crianças a viverem com deficiência” não cabe, disse, tamanho descaso em Maceió. “A responsabilidade é dos gestores e se não cumprem cometem crime de responsabilidade”, destacou.

 

 

Deixe o seu comentário