14 de Abril de 2016 • 4:23 pm

Política

Deputado que era contra Cunha renuncia a Conselho de Ética e ‘tiete’ assume vaga

Deputado que assume vaga é uma espécie de tiete do presidente da Câmara

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Uma nova manobra do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), levou o deputado Fausto Pinato (PP-SP) a deixar o Conselho de Ética, onde tramita a vagarosa ação para cassar o mandato de Cunha por corrupção. Pinato vinha votando pela cassação do peemedebista.

Desconfortável” e “estranho” foram alguns dos adjetivos utilizados por membros do Conselho de Ética, composto por 21 deputados, após a renúncia do deputado Fausto Pinato (PP-SP)  à vaga na comissão que julga um parecer pela admissibilidade de processo de cassação de mandato contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Muda a correlação de forças no Conselho de Ética.

Muda a correlação de forças no Conselho de Ética.

Pinato tem negado que sua renúncia faça parte de uma estratégia de Cunha. No início do ano, Pinato, que foi o primeiro relator da representação contra o peemedebista, trocou o PRB pelo PP. Recentemente, o PRB requereu a vaga, mas não havia a obrigatoriedade de que Pinato renunciasse.

Com a saída do deputado, o PRB indicou para compor a comissão a deputada Tia Eron (PRB-BA). A parlamentar é admiradora e espécie de “tiete” de Eduardo Cunha e vibrou com a vitória do peemedebista em fevereiro do ano passado, na eleição para a Presidência da Câmara. Ela afirma, porém, que vai analisar o caso com independência e vem pedindo que sua futura decisão seja respeitada.

Atualmente, o placar da votação do parecer do relator do processo, Marcos Rogério (DEM-RO), é de 11 votos favoráveis à admissibilidade e de 10 votos pelo arquivamento. O receio de alguns integrantes do Conselho de Ética é que a defesa de Cunha, que já vem adiando há mais de quatro meses por meio de manobras regimentais a votação do parecer, apresente requerimento para uma nova votação e a diferença de apenas um voto seja revertida.

Autor da representação contra Eduardo Cunha, o líder do Psol, deputado Chico Alencar (RJ), disse que a renúncia de Pinato “surpreendeu a todos” e que o parlamentar “não era obrigado a isso por ter mudado de partido”

“Cada vez mais ficamos convencidos que da Câmara, nesse mar de cumplicidades, Cunha não sofrerá qualquer sanção. Ética tem baixíssimo valor nesse ambiente. Que o STF aja, rápido, pelo bem da Nação”, comentou Chico Alencar.

Tags: cassação, conselho de ética, cpi da petrobras, decoro, eduardo cunha, fausto pinato, lava jato, pmdb, prb, quebra de decoro, relator, relatório, réu

Deixe o seu comentário